'Uma Chama Entre as Cinzas' tem uma leitura rápida e envolvente

Em Uma Chama Entre as Cinzas, primeiro livro dessa saga de quatro livros, conhecemos Laia, filha de líderes rebeldes falecidos que acabou de presenciar a morte dos avós e a prisão de seu irmão Darin. Sozinha e sem ter para onde ir, Laia pede refúgio junto aos rebeldes que, antes, foram seguidores de seus pais, mas ela não imagina a gigantesca teia de conexões em que ela acabou de adentrar.


Foto por Dunia Ahmad

Ao mesmo tempo em que conhecemos o soldado Elias, filho da temida comandante e favorito ao cargo de futuro Imperador. Porém ele não quer viver nada disso, na verdade, sua história começa exatamente com ele buscando uma forma de desaparecer do complexo de Blackcliff. Elias não acredita nos valores do Império, e apesar do favoritismo, ele nunca esteve tão determinado a sumir. Com o fim do reinado atual e as Eliminatórias para o próximo se aproximando, ele se vê obrigado a decidir entre arriscar suas chances agora ou lutar por um Império melhor.


Nessa história sobre Império vs Rebeldes, ambientada nos desertos árabes e com a escrita INCRÍVEL de Sabaa Tahir, nos aventuramos em acompanhar como a trajetória de nossos protagonistas irão se cruzar e como eles irão sobreviver a cada acontecimento do livro.


E como tem acontecimento! A história é rápida em envolver o leitor e faz jus a todos os elogios e fãs que vem conquistando ao redor do mundo. A autora é genial em suas decisões e cada mínimo detalhe apresentado torna a experiência cada vez mais rica, mais intrigante. Uma fantasia de extrema qualidade e promissora por cada mínima revelação.


A referência árabe é sutil, nos nomes, lugares e toques mitológicos, mas nada além disso, nada que fique complicado de entender.


Uma Chama Entre As Cinzas é um livro para os amantes da fantasia, mas também simplesmente para os amantes de um bom livro, que te prende do início ao fim e te convence a já comprar as continuações antes mesmo de finalizar o primeiro volume.



  • YouTube
  • Twitter
  • Instagram

© 2020 por The Feminist Patronum.