the feminst patronum logo

The Sandman | Um Sonho que se torna realidade

Atualizado: 8 de ago.

Quando um dos Perpétuos, seres que controlam os pilares da existência, é aprisionado, as consequências para a humanidade são irreparáveis.


Morpheus (Tom Sturridge), Rei dos Sonhos e Pesadelos, passou 100 anos no porão de um aspirante a mago que, após perder seu filho, desafiou as leis do universo e buscou aprisionar a Morte (Kirby Howell-Baptiste) para que ela pudesse trazê-lo de volta. Porém, é impossível aprisionar a Morte e por consequência o segundo Perpétuo mais poderoso acabou por ser atingido.


Enquanto Morpheus perde sua força e seus captores roubam suas ferramentas essenciais, o mundo humano entra em caos, onde as pessoas dormem e nunca mais acordam e o Pesadelo (Boyd Holdbrook) mais poderoso criado por Morpheus está a solta!


The Sandman adapta um dos quadrinhos mais relevantes e populares dos últimos 30 anos. Escrito por Neil Gaiman e publicado pela DC Comics, a história viu os anos passarem com o próprio Gaiman barrando inúmeras adaptações de acontecerem por não respeitarem a essência de Sandman. Em 2019, a Netflix ganhou um leilão milionário para levar o Sonhar para sua casa sob a supervisão do próprio criador do universo, um elenco renomado e uma produção cuidadosa, tão fã dos quadrinhos quanto o próprio Gaiman.


Essa é a receita do sucesso.

Tom Sturridge é Morpheus, Rei dos Sonhos. Divulgação: Netflix.

Sob a direção de Allan Heinberg, The Sandman chega finalmente a Netflix já sendo aclamada como uma das melhores séries do ano, e definitivamente uma das melhores adaptações que o streaming já produziu.


Não houveram poupanças para que a série ganhasse vida, e isso claramente foi um dos motivos pelos quais a Netflix é quem lança a série e não a HBO Max, que na teoria por ser da Warner Bros., é a principal detentora dos direitos de Sandman. Desde a escolha impecável do elenco, a trilha sonora de David Buckley (Batman: Arkham Knight) e as participações de pessoas importantes dos quadrinhos na produção, como David McKean ilustrando os créditos, Sandman também apela para uma fidelidade absurda sobre a história original. Com falas e até mesmo cortes idênticos aos quadrinhos, a série é capaz de fazer até os fãs mais críticos se deleitarem ao assistir The Sandman.


As mudanças são pontuais e aprovadas pelo próprio Gaiman em especial porque enriquecem muito o enredo desta primeira temporada. O aumento da participação do pesadelo Corinthian é notável e absolutamente entendível, afinal ele termina por ser o principal vilão da temporada. O fato do Morpheus passar 100 anos aprisionado, e não 75 como nos quadrinhos, também é importante, uma vez que ele se liberta na nossa realidade!


Mesmo que alguns arcos ainda aparentam ser melhores na versão escrita, A Hope in Hell, The Sound of Her Wings e Lost Hearts, os episódios 4, 6 e 10 respectivamente, deixam claro que Sandman não é mais considerado "infilmável" ou "impossível de adaptar", como ficou claro após tantas não saírem do papel. Se uma batalha de palavras contra Lúcifer Morningstar, interpretado pela gigante Gwendoline Christie, é a disputa mais perigosa que pode acontecer no Inferno e você realmente se convence disso após uma produção eletrizante e aterrorizante, não é preciso dizer mais nada para comprovar que a série não tem medo de enfrentar críticas e abraça o seu potencial majestosamente.


Gwendoline Christie e Tom Sturridge como Lucifer e Morpheus. Divulgação: Netflix.

Não deixe de assistir The Sandman na Netflix hoje mesmo! O roteiro da segunda temporada já está sendo escrito e depende apenas da boa audiência para receber a tão sonhada renovação.


thheeeee feeeeem (1).png