'Star vs. As Forças do Mal' é uma das melhores animações e tenho como provar.

Criado por Daron Nefcy, e produzido pela Disney, 'Star vs. As Forças do Mal' nos apresenta Star Borboleta, uma princesa mágica de outra dimensão que é enviada para a Terra como uma estudante de intercâmbio.

Reprodução: Disney

Após ser "expulsa" de Mewni por seus pais, Star Borboleta chega na Terra e vai morar com a família Diaz, onde aparentemente deveria viver uma vida plena e normal num subúrbio (mas a gente sabe que não vai ser assim).


Star é uma princesa que possui uma varinha mágica. Sua melhor amiga é uma cabeça de unicórnio voadora. Foi o primeiro desenho infantil a exibir um beijo gay. Pronto, melhor animação do mundo.


Ok, sinto que ainda preciso te convencer um pouco mais.


Star é uma princesa, mas em nenhum momento isso a impede de ser uma protagonista forte, assim como todas as mulheres da série. Toda a linhagem da família Borboleta é composta por mulheres, sendo elas heroínas ou vilãs.


Masculinidade frágil: as crianças (e os adultos) precisam de exemplos saudáveis dos homens que aparecem nas suas vidas, e por que não abordar isso na animação? Em 'Star vs. As Forças do Mal', os personagens masculinos são muito fluidos, sem apresentar aquela necessidade de ser melhor em tudo, ou ter o medo ridículo de usar "coisas de menina". Como disse anteriormente, as mulheres da série são independentes, não dependem de nenhum homem, assim como os homens não dependem delas.


A quarta temporada da série estreia no Brasil dia 1 de julho, no Disney Channel.



nossa equipe tfp.png
  • YouTube
  • Twitter
  • Instagram

© 2020 por The Feminist Patronum.