Segunda temporada de The Umbrella Academy é ainda mais incrível

Finalmente chegou a segunda temporada da série adaptada da HQ de Gerard Way e Gabriel Bá! The Umbrella Academy já está disponível na Netflix e Aidan Gallagher, Ellen Page, Tom Hopper, Robert Sheehan, Emmy Raver-Lampman, David Casteñeda e Justin H. Min, intérpretes dos Irmãos Hargreeves, estão prontos para os novos desafios.



Antes de iniciar os novos episódios, é importante relembrar como terminou a primeira, afinal, a segunda temporada inicia exatamente onde a última terminou.


Recapitulando, os irmãos conseguem conter o surto de Vanya, o Violino Branco, mas não a impede de explodir a lua e consequentemente causar o apocalipse. O único jeito que encontraram de sobreviver foi voltando ao passado, para ser mais exata aos anos de 1960, em Dallas, no Texas.


Um dos pontos positivos da nova temporada é que a vida pessoal de cada personagem foi contada com mais detalhe, criando uma identificação maior com o público.


Luther (Hopper), ou número 1, sempre se sentiu excluído pelo pai, Reginald Hargreeves. Assim que - literalmente - caiu em Dallas, ele se associou a um gangster poderoso que o considerava como filho.


Diego (Castañeda), número 2, está preso em um manicômio, devido a diversas coisas que ele disse sobre o futuro, o que para as pessoas parecia loucura. E é lá que ele conhece Lila (Rita Arya). Interpretada por, a nova personagem é de grande importância na trama. Da mesma forma que causa grandes problemas, é importante para a resolução de outros.


Allysson (Raver), a número 3, casou-se e se tornou uma ativista que luta pelos direitos dos negros. Desde o primeiro episódio, o racismo é pauta discutida, trazendo ao público uma realidade vivida naquela época.


Klaus (Sheehan), o número 4, também voltou ao passado, mas não deixou o jeito irreverente e ousado de lado. Claro, acompanhado pelo fantasma de Ben (Justin), número 6. Criador de uma ceita, ele tem uma legião de seguidores que acreditam em seus mandamentos.


Número Cinco (Gallagher), o último a chegar em Dallas e segue na busca incessante de impedir o fim do mundo saltando na linha do tempo. Há quem o compare com o Barry Allen, o Flash, por estragar algumas coisas com seus pulos, mas há suas grandes diferenças. Por fim,


Vanya (Page), a número 7, perdeu a memória e está morando em uma fazenda, trabalhando como babá, quando se apaixona pela mãe da criança. Algo que naquela época era visto como doença.


Em meio a tantos núcleos e histórias diferentes, o roteiro consegue unir cada personagem, sem deixar pontas soltas na história. Na trilha sonora, sucessos de Billie Eilish, Queen e outros artistas, deixa a trama ainda mais interessante e poderosa.


Separem a pipoca e escolham um lugar bem confortável para assistir, afinal a temporada está incrível e com certeza vai querer maratonar em um dia só. E se prepare para o final, tem aquele gostinho de “quero mais".




  • YouTube
  • Twitter
  • Instagram

© 2020 por The Feminist Patronum.