Enquanto fãs pedem por álbum novo, Rihanna está ocupada demais revolucionando o mercado da moda

Cantora deu pausa na carreira musical para se dedicar ao cargo de CEO da Fenty, marca que abriu espaço para a representatividade no mundo da moda e beleza


Desde o lançamento do álbum Anti, em 2016, Rihanna tem se esquivado da maior parte das perguntas relacionadas ao seu próximo disco. Apesar de aparecer em colaborações musicais de outros artistas como o hit Wild Thoughts, de DJ Khaled, e a mais recente, Believe It, com PARTYNEXTDOOR, a cantora prefere ignorar os pedidos por novos singles.

Mas a falta de lançamentos musicais não significa que ela está trabalhando menos, muito pelo contrário! Desde que criou a marca Fenty em 2017, Rihanna se tornou uma empresária poderosa que está revolucionando as indústrias da moda e da beleza, transformando sua visão de "Beleza Para Todos" em sua missão.

Sua carreira como CEO começou ao lançar de surpresa sua própria marca de maquiagem. A Fenty Beauty chegou comercializando 40 cores de base - hoje o número atingiu 50 - levando os fãs fazerem filas em frente as lojas de cosméticos ao redor do mundo para adquirir sua unidade da cor exata da pele. Na época, a maior parte das marcas tinham poucas variedades em suas paletas de tons e muitas precisaram se adaptar e produzir uma gama maior de tonalidades, buscando por mais inclusão após receberem cobranças dos clientes.


A coleção foi lançada simultaneamente em 17 países e os produtos foram enviados para mais 137, contando com a ajuda de 500 chefes de equipe para atingir o máximo de mulheres ao redor mundo. Em seu primeiro ano, a Fenty Beauty se tornou o maior lançamento de uma marca de beleza na história do YouTube.

E ela não parou por aí. Em maio de 2019, Rihanna expandiu os negócios e o nome Fenty também passou a pertencer a uma marca de moda. A empresa foi lançada em parceria com o grupo LVMH, detentor de grifes de luxo como Dior, Louis Vuitton e Givenchy. Desta forma, a artista se tornou a primeira mulher a criar uma marca original no conglomerado da empresa.

Seguindo o plano de inclusão, Rihanna anunciou sua primeira coleção com peças do tamanho PP ao XXG voltadas para os mais diversos corpos, formatos que grandes marcas fizeram questão de ignorar ao longo da história. Para ela, as roupas são peças fundamentais para o empoderamento feminino: “É sobre criar um estilo para as mulheres que as façam se sentir bonitas e poderosas.”


Para suas campanhas e editoriais, a cantora uniu suas marcas para exaltar as belezas naturais sem usar photoshop. Estreladas por Normani, Amandla Stenberg, Sydney Sweeney, Tinashe e o humorista Kwaylon Rogers, os artistas fortaleceram o propósito da marca de atender a todos aqueles que identifiquem com os produtos, independente de raça ou gênero.

Ainda na indústria da moda, que ainda se recusa a mudar seus padrões preconceituosos e gordofóbicos, a cantora tirou o posto de “queridinho” do Victoria Secrets Fashion Show, que perpetuava anualmente sua obsessão modelos magras em suas passarelas. No desfile da marca de lingerie, Savage X Fenty, em 2019, realizado no Barclays Center, do Brooklyn, Rihanna se reuniu com mulheres de diversas cores, tamanhos e idades, incluindo grávidas, mostrando que o antigo “padrão” já não deve ser mais aceito.

Após o sucesso do show conceitual (que está disponível no Prime Video) que conta com Halsey, Normani, Big Sean, DJ Khaled, Tierra Whack como atrações musicais e a breve participação da música Malokera, de Ludmilla, MC Lan, Ty Dolla $ign e Skrillex, o mercado voltou a sentir o impacto do trabalho de Rihanna.

Sem ceder aos pedidos por mais inclusão e diversidade em time de modelos, a marca de lingerie americana Victoria's Secret sua famosa apresentação após 20 anos. Com a queda da audiência em suas últimas edições, problemas econômicos, polêmicas ligadas ao escândalo #MeToo, e a declaração do diretor de marketing, Ed Razek, que descartou a possibilidade de integrar modelos transgênero ou mulheres mais curvilíneas em seus time de ‘Angels’, a empresa perdeu merecidamente o espaço para a empresária.


Como consequência do sucesso, a RiRi já está colhendo os frutos de seu trabalho como diretora criativa. Em dezembro de 2019, ela levou para casa o prêmio de Melhor Marca de Luxo Urbana, na Fashion Awards britânica.

Depois de lançar uma coleção de sapatos com a designer Amina Muaddi este mês, a cantora usou as redes sociais para confirmar o lançamento da Fenty Skin, sua aguardada linha de cuidados com a pele, para o dia 31 de julho.


Colocando no mercado uma marca por ano, de acordo com rumores, Rihanna ainda arranjou tempo em sua agenda para entrar em estúdio com Pharrell Williams. Ainda sem previsão para chegar às plataformas de streamings e ao topo dos charts, ela afirma em entrevista à Vogue, que só colocará o disco no mundo quando sentir que há “boa música” pronta.



nossa equipe tfp.png
  • YouTube
  • Twitter
  • Instagram

© 2020 por The Feminist Patronum.