the feminst patronum logo

Resenha: Tipo uma história de amor

Reza é um iraniano que se mudou para Toronto com a sua família para fugir da guerra, e com o falecimento do seu pai, agora, em 1989, ele está morando em Nova York, a cidade dos recomeços.


Foto: Dunia Ahmad

Morando com a mãe, o novo marido dela e o filho dele, Reza precisa tanto se adaptar mais uma vez a nova rotina, nova escola e novas pessoas, como finalmente se permitir entender melhor a sua sexualidade.


Ele é gay, mas por vir de uma cultura onde até mesmo conversas deste tipo são inaceitáveis, foi o primeiro contato com outro garoto também gay do colégio que fez ele abrir sua mente finalmente para o assunto.


Mas o verdadeiro problema não é aceitar quem ele verdadeiramente é, e sim que o livro se passa em uma época onde a AIDS é a maior vilã da comunidade queer. E, para piorar, o governo está aumentando o valor dos remédios que podem estender a vida de uma pessoa com a doença.


"Se vidas passadas existem, nós fomos pessoas épicas."

O livro que além de contar a belíssima história entre Reza, Art, e Judy, primeira amiga de Reza e sua única tentativa de namorar uma garota, também conta como a desinformação sobre a AIDS era algo marcante na época, tanto quanto os protestos violentos e importantes que ocorreram para que a comunidade LGBTQIA+ adquirisse o mínimo de direitos.


É uma história impactante de ler, tanto pelo autor tratar com tanta delicadeza assuntos como perder um amigo próximo para a doença, como a força na escrita de um homem que, na vida real, viveu algo similar à história que ele escreve. Abdi Nazemian escreve, inclusive, uma introdução avisando o leitor sobre possíveis gatilhos como os já mencionados na resenha.


Tipo Uma História de Amor é um livro principalmente sobre amor, mas também sobre descobertas, amizade e família.



estelar tfp.png