the feminst patronum logo

Resenha: Sua Alteza Real

Chegou recentemente no Brasil a continuação de Como Sobreviver à Realeza, e se você me acompanha faz um tempo, sabe que eu sou COMPLETAMENTE apaixonada pelo primeiro livro e que foi uma das minhas melhores leituras do ano. Agora, com Sua Alteza Real, a história ganha novos personagens e um novo casal de aquecer o coração.


resenha sua alteza real
Foto: Dunia Ahmad

No primeiro livro conhecemos o futuro herdeiro do trono da Escócia e a família de sua futura esposa. Na continuação, conhecemos bem mais de perto a irmã mais nova, problemática e festeira do herdeiro, Flora.


Mas a história novamente não é narrada pela realeza, e sim por Millie, uma jovem estadunidense que conseguiu uma bolsa de estudos no Colégio mais prestigiado da Escócia. Toda a realeza estudou lá e Millie sempre foi apaixonada por tudo sobre a Escócia por causa de seu amor por geologia. Millie decide seguir seu sonho e se mudar para outro país após ter seu coração partido em vários pedaços por sua amiga que... estava se tornando algo mais.


Ela chega na Escócia querendo apenas adquirir novos conhecimentos, porém jamais imaginaria ter que dividir o quarto com a Princesa Flora. Acabar tão envolvida com a Realeza definitivamente não estava em seus planos.


Sua Alteza Real segue a base do primeiro: bem levinho, curto, fácil de ler e envolvente do início ao fim. A história não se aprofunda em mínimos detalhes sobre Reis e Rainhas, então não espere algo como The Crown. Mas o livro acerta em não te obrigar a ler Como Sobreviver à Realeza para entender esse, é apenas MUITO legal pegar as referências e rever alguns dos queridinhos.


Rachel Hawkins provavelmente escreveu esse livro LGBTQIA+ sem imaginar que se tornaria um dos queridinhos de muitos por falar sobre uma personagem lésbica e outra bissexual muito bem, sem os estereótipos que sempre incomodam leitores da comunidade queer.


Algo que gosto muito na escrita da autora é que seus casais nunca parecem acontecer de uma hora para outra, mesmo com livros tão curtos, sempre me parece natural.

É uma leitura certeira para sair de uma ressaca literária.



estelar tfp.png
thheeeee feeeeem (1).png