• YouTube
  • Twitter
  • Instagram

© 2019 por The Feminist Patronum.

Resenha: O Mundo Invisível Entre Nós

O Mundo Invisível Entre Nós é uma coleção de contos da autora Caitlin R. Kiernan, que foram publicados entre 1993 e 2004. Temos esses contos divididos em duas partes, a primeira, de 1993 até 1999 e de 2000 até o ano de 2004. Através disso, conseguimos notar a grande evolução na prosa poética de Kiernan, vendo como a voz da autora se desenvolve ao longo de suas narrativas.


Foto autoral | The Feminist Patronum

Caitlin utiliza de muitos elementos fantásticos em suas histórias, desde a mitologia Lovecraftiana até vampiros, bruxas canibais, cultos a deuses, xamanismo e aparições de demônios e monstros em diversas formas, mas também abordando fantasia urbana em muitos momentos. Essa dualidade na escrita é uma das coisas mais envolventes do livro, pois com isso sempre notamos uma mudança brusca de cenário, ao mesmo tempo que sentimos que estamos no mesmo universo fantástico que Kiernan constrói. Além disso, temos também personagens que aparecem em múltiplos contos, fazendo crescer a impressão de um possível universo interligado, fazendo com que sua narrativa não seja tão tradicional e sempre instigando o leitor a querer descobrir mais e mais.


O ponto que mais pode tocar o leitor é como Caitlin consegue transformar elementos da nossa realidade em temas profundos através de uma ótica fantástica e fantasiosa, como por exemplo, uma metáfora ao transexualismo em Lágrimas Sete Vezes Sal, onde a protagonista tem consigo a sensação de não pertencimento ao próprio corpo, e no conto A Essa Água, que se baseia em uma triste história de violência sexual e o assassinato de uma garota.


Foto autoral | The Feminist Patronum

Não existe um gênero em específico que determine a narrativa das histórias de Kiernan, graças a sua escrita ao longo de todas as histórias sombrias o sentimento de que determinado cenário é em si assustador vai aumentando cada vez mais, não sendo preciso deixar isso escrito explicitamente, e isso é um dos maiores pontos positivos da história. A percepção do bizarro, do chocante e do incômodo se dão linha por linha, parágrafo por parágrafo, e quando você se dá conta, a história chegou ao fim.


Foi uma leitura um tanto quanto pesada mas que me surpreendeu, e pode agradar muito os fãs de terror e ficção científica! Vale a pena conferir.


Foto autoral | The Feminist Patronum

Capa dura: 512 páginas

Editora: Darkside; Edição: 1 (4 de fevereiro de 2020)

Idioma: Português

Autora: Caitlín R. Kiernan


Compre aqui e ajude nossa equipe.













nossa equipe tfp.png