Resenha: Cores Vivas

A realidade das ruas pode ser violenta e cruel, mas para Marlon, um garoto negro de dezesseis anos com histórico familiar tanto nas ruas quanto na polícia, essa realidade pode ser ainda mais perigosa e obscura.



DarkSide Books


Ainda muito jovem, Marlon perdeu seu pai e viu seu irmão se perder graças à uma vida envolvida em gangues, drogas e violência.


Ele sempre foi um garoto caseiro, tranquilo e focado nos estudos, que raramente se metia em algum problema, completamente diferente de seu irmão.


Ele se tornou uma âncora para sua mãe, de força e luz, mas as coisas mudam quando Sonya aparece na vida de Marlon e misteriosamente morre ao seu lado, deixando ele com as drogas da garota e sob a mira de uma gangue que ele não faz ideia de quem são, e o que querem.


Essa é uma história poderosa, sobre herdar problemas e responsabilidades de pessoas anteriores a você, ao mesmo tempo que demonstra o quanto é necessário manter a força e a coragem para não perder o que existe de melhor em cada um: o amor e as nossas cores.


A autora mescla as situações de tensão com músicas e cores, Marlon reconhece os fatos que desenrolam a sua volta à partir de associações de sons, cores e sensações.


Ou seja, quando uma cena muito intensa acontece, você entende ela a partir das cores descritas, das músicas que Marlon reproduz em sua mente e memórias que ele associa ao momento.


Um livro altamente recomendado para os fãs de 'O Ódio Que Você Semeia', por se associar a uma realidade difícil que muitos ainda vivem, não apenas na Austrália (que é onde o livro se passa), mas também nos Estados Unidos, e mais perto ainda, aqui no Brasil.


De bônus, a Editora DarkSide Books ainda traz uma edição lindíssima, demonstrando atenção e cuidado aos mínimos detalhes desse livro.


Ficha Técnica

Cores Vivas

Patrice Lawrence

DarkSide Books

304 páginas

Compre aqui







nossa equipe tfp.png
  • YouTube
  • Twitter
  • Instagram

© 2020 por The Feminist Patronum.