the feminst patronum logo

Resenha: Blackout

Nova York, cada um vivendo a sua própria rotina quando um apagão acontece. O calor extremo desliga todas as luzes e fontes de energia, não existe mais metrô, ar condicionado, elevadores ou chances de carregar o celular.

Neste contexto, conhecemos seis diferentes jovens, em situações e idades diferentes, e descobrimos o que cada um estava fazendo quando o apagão aconteceu, e como cada um precisará dar um jeito para cumprir suas tarefas ou chegar no seu destino da forma que der.


Blackout é um dos mais recentes lançamentos da Editora Seguinte e cada conto que compõem o livro foi escrito por uma autora negra diferente! São elas: Dhonielle Clayton (O Preço da Perfeição), Tiffany D. Jackson (White Smoke), Nic Stone (Cartas Para Martin), Angie Thomas (O ódio que você semeia), Ashley Woodfolk (When You Were Everything) e Nicola Yoon (O sol também é uma estrela), nomes renomados para um livro repleto de romance, descobertas, personagens que nos identificamos e muita representatividade!


Entre todos os contos, existe apenas uma única coisa em comum: o Blackout.


Seja uma garota reencontrando o ex que a trocou, um garoto descobrindo gostar de pessoas do mesmo sexo, uma garota apaixonada pelo seu namorado... e seu outro crush ou um grupo de idosos tentando tornar duas cuidadoras um casal. As histórias se conectam de modo sutil, apenas para quem está verdadeiramente prestando atenção, mas quando você pega a referência deixada aqui, e outra ali, é tão divertido que fez o livro me conquistar de um jeito super fácil.


Blackout é leve, simples para todos e todas as idades, além de ser rápido, mas com muita mensagem escondida e perfeito para jovens leitores.


Em um conto vemos o uso da linguagem neutra para descrever certo personagem, e foi incrível! Aliás, de todo o enredo, quão doido é imaginar a Times Square toda a apaga? E o Central Park? O cenário dos contos também nos transportam da melhor forma possível para o coração de Nova York.


Para concluir, o meu conto favorito foi o da Angie Thomas, afinal, qual a surpresa? Eu amo a escrita dela, seus person