the feminst patronum logo

Resenha: A Very Large Expanse of Sea

Shirin é filha de iranianos que mora nos Estados Unidos no pior momento possível para ser um mulçumano no país: o 11 de Setembro de 2001 aconteceu faz apenas um ano. O ódio e o medo está nas ruas, as pessoas atacam umas as outras por pouco, quase nada.

a very lary expense of sea resenha
Foto: Dunia Ahmad

E de nada ajuda seus pais constantemente mudarem de cidadezinha para cidadezinha, já que, quando começam a se acostumar com Shirin e sua família na cidade, eles precisam começar tudo do zero.


Shirin usa o hijab (lenço) por escolha própria, não que isso torne sua vida minimamente mais fácil na escola, mas ela adora o significado e a forma como o hijab a faz sentir, por isso ela não deixará o preconceito vencer. Mas ainda sim ele vence, já que ela não tem ninguém além de seu irmão.


Até um completo estranho esbarrar nela e enxergá-la, verdadeiramente, pela primeira vez.


A Very Large Expanse of Sea é uma PRECIOSIDADE. Narra uma história tão inocente e bonita, ao mesmo tempo repleta de dor e ensinamentos.


Eu sabia que iria me envolver com o livro por entender da xenofobia que a personagem principal vive, mas não imaginava que iria me envolver da forma que fiz. É uma história para jovens que deveria ser lida por todos, já que a violência dele não machuca na forma de gatilho, e sim por tentar nos colocarmos na posição de Shirin, é algo muito poderoso. Aliás, ela constantemente tem debates, principalmente mentais, sobre como todos enxergam sua cultura, é uma aula da forma mais didática que existe.


É um livro que você sabe que as coisas darão erradas em algum momento. Você sente a tensão crescendo, a forma como Tahereh conduz essa tensão não deixando o livro perder a "classificação indicativa para todos" é incrível, eu gostaria muito de ver esse livro traduzido aqui no Brasil.


Eu sempre admirei a Tahereh por ser uma mulher mulçumana que nunca deixou a religião mudar a forma como ela escreveria seus livros, que por diversas vezes continham cenas +18, e isso me conquista porque são poucas mulheres do meio que enfrentam o preconceito da forma belíssima que ela enfrenta. Vão seguir o Instagram desta mulher, é uma experiência!


Se você costuma ler em inglês, não deixe de procurar AVLEOS.


5 ⭐ + ❤



estelar tfp.png
thheeeee feeeeem (1).png