• YouTube
  • Twitter
  • Instagram

© 2019 por The Feminist Patronum.

Resenha: A (R)evolução das Mulheres

Atualizado: há um dia

ATENÇÃO: a resenha que você está prestes a ler é sobre um livro que mudou a minha vida.


Alex Craft era ainda muito jovem quando viu a sua irmã mais velha perder a vida nas mãos de um “predador sexual”. Ela se isolou de tudo e todos, perdeu seus sonhos e o brilho da vida.


Sua vida passou a ter apenas um objetivo: vingança sobre o homem que, pela falta de provas, saiu impune.


O livro começa algum tempo depois de Alex ter conseguido sua vingança e seguir sua vida. Ironicamente pela falta de evidências, ninguém foi preso pelo assassinato do criminoso sexual.


Hoje, Alex é uma garota como qualquer outra que mora em um pequeno condado dos Estados Unidos. Ela acorda todos os dias para ir ao colégio, estuda e tem ótimas notas que irão lhe garantir uma bolsa na faculdade (não que ela pretenda fazer faculdade), e no resto do seu tempo ela trabalha em um comércio local. O que diferencia ela? Além do fato de ser conhecida por todos como a garota solitária que perdeu a irmã? Ela se tornou secretamente uma máquina sem sentimentos que vinga os crimes impunes da cidade.


As coisas mudam quando Alex permite a si mesma fazer amizade com a sua colega de trabalho e, sem querer, ela acabou abrindo seu coração também para Jack, o garoto estrela da cidade.


“Mas ‘meninos são assim mesmo’, é nossa expressão predileta e que serve de desculpa para tanta coisa, ao passo que para falar do gênero oposto, só dizemos ‘mulheres…’, com um tom de desdém e acompanhado de um revirar de olhos.”


Pode parecer um livro “simples” pelo enredo, mas a autora genialmente aborda assuntos como estupro, abuso sexual, violência tanto física quanto psicológica e o feminicídio impune em um contexto envolvente e muito intenso do início ao fim. A história te prende em um nível que você não consegue parar até descobrir como acaba, e te garanto uma coisa, o final é devastador.


Nem preciso dizer que essa história pode ser gatilho para algumas pessoas, certo? A autora não poupa descrições dos acontecimentos, tornando tudo muito impactante, ou seja, se você tem algum problema com os assuntos que mencionei no parágrafo acima, esse livro talvez te perturbe. Eu, como uma pessoa que nunca sofri de gatilhos com as histórias que leio, fiquei presa nessa história por horas mesmo depois de finalizar a leitura.


A forma como Alex faz justiça com as próprias mãos te faz pensar até que ponto ela está errada, afinal ela está assassinando criminosos. Mas até onde a violência compensa? Até onde você, como amiga ou namorado dessa pessoa conseguiria lidar com a verdade?


Um livro poderoso porque grita diretamente dentro da sua mente toda a dor da vida real que é ser uma mulher, sobre as injustiças, sobre a culpa que sempre é da vítima. Sim, é um livro capaz de tirar você de sua zona de conforto, proporcionando muita reflexão e lágrimas (eu particularmente chorei demais com o final).


E uma leitura necessária tanto para mulheres quanto para os homens. Além de tratar desses assuntos pesados (e infelizmente necessários), o livro pincela o tema sororidade. Onde uma mulher deve apoiar a outra em qualquer circunstância, seja ela a sua inimiga ou a nova namorada do seu ex. Todo mundo tem problemas e inseguranças, a história aborda o fato de que em um momento de dificuldade, não importa o quanto algumas personagens se odiavam, no fim elas se ajudam.


Te garanto que essa é uma leitura que irá valer a pena, apesar de todos os temas abordados, a mensagem ao fim é bela, as pessoas mudam e todos possuem o direito de rever seus atos e sua forma de pensar.


Recomendo!


A (R)evolução das Mulheres

Mindy McGinnis

Plataforma21

344 páginas

Compre aqui






nossa equipe tfp.png