Quem foi Rosa Parks?

Filha de uma professora e um carpinteiro, Rosa Parks nasceu em 4 de fevereiro de 1913 in Tuskegee, no estado de Alabama nos EUA.


Parks estudou em uma escola rural até os 11 anos, quando entrou para a Montgomery Industrial School for Girls. A escola era privada, e conforme o dinheiro de sua família se tornava cada vez mais escasso, Parks começou a trocar serviços (limpeza das salas de aula) para continuar estudando no local.


Em 1932, Rosa Parks se casou com um membro da National Association for the Advancement of Colored People (NAACP) chamado Raymond Parks, e se mudou para Montgomery. Dois anos depois a mulher finalmente concluiu o ensino médio e começou a se dedicar inteiramente à luta pelo fim da segregação.


1 de dezembro de 1955. Nesse dia, voltando do trabalho, a mulher subiu no ônibus e ao invés de seguir até a parte de trás (seção designada aos negros, de acordo com a lei), ela tomou um assento na parte da frente. Durante o trajeto o ônibus foi enchendo tanto que não se tinha mais assentos disponíveis. Um passageiro branco ao entrar no ônibus e perceber que o tal estava lotado, exigiu que Rosa cedesse o lugar para ele, e ela recusou.

Rosa Parks foi detida e levada para a prisão por ter violado as Jim Crow laws*. Depois de ter tido sua fiança paga no dia seguinte, foi liberada e recebida com o apoio de um dos nomes mais importantes no movimento dos direitos civis nos Estados Unidos: Martin Luther King Jr.


Juntos eles planejaram um boicote à empresa de ônibus da cidade. O evento durou exatamente 381 dias, e voltou a atenção do mundo todo para Montgomery. Em 1956 a Suprema Corte dos EUA baniu segregação racial em transportes públicos, e foi aí que Rosa Parks ficou conhecida como a Mãe do Movimento dos Direitos Civis nos EUA.


Infelizmente, a posição da Suprema Corte não foi o suficiente. Rosa e o marido tiveram que se mudar devido às inúmeras ameaças de morte que recebiam – e mesmo assim os dois tiveram muita dificuldade em encontrar emprego. Mas independente de tudo isso o casal nunca deixou de lutar pelo que acreditava.


Martin Luther King Jr. teve Parks como um exemplo para influenciar mais pessoas a se juntarem à causa. Outros movimentos, maiores e melhor organizados, tomaram conta da década de 1960 não só em Montgomery, mas em toda região Sul do país.


Antes de seu falecimento em 2005, Rosa teve diversas conquistas por seu papel ativo nesse movimento, sendo as de extremo destaque: o prêmio Spingarn Medal da NAACP, a Presidential Metal of Freedom entregue pelo presidente Bill Clinton, e seu nome no Michigan Women’s Hall of Fame. Além disso, Parks escreveu sua autobiografia e fundou o Rosa and Raymond Parks Institute for Self-Development.


"Eu gostaria de ser lembrada como uma pessoa que queria ser livre… para que outros também pudessem ser livres." - Rosa Parks



*Jim Crow laws eram leis estaduais e municipais que reforçavam a segregação racial no Sul dos Estados Unidos. Por exemplo, negros teriam um bebedouro específico em locais públicos ou assentos fixados em restaurantes. É importante notar que normalmente, a divisão dos negros era sempre menor e/ou de qualidade inferior à divisão dos brancos. No caso de Parks, a seção designada aos negros ficava no final do ônibus.

nossa equipe tfp.png
  • YouTube
  • Twitter
  • Instagram

© 2020 por The Feminist Patronum.