Para todos os garotos que já amei - Livro vs Filme

Gente, o filme é bom, mas está tudo errado!!!


Tudo bem, estou sendo um pouco exagerada, mas não tem como ignorar as diferenças gritantes entre o dois. Apesar de o filme ser fiel a alguns aspectos e ao enredo de forma geral, eu senti falta de muita coisa que torna o livro tão especial.



Eu assisti o filme antes de ler o livro e achei fofíssimo, o clássico romance para se ver na Netflix comendo pipoca e brigadeiro. Porém, ao ler já com esse intuito de comparar ambos, percebi que o filme peca em muitaaaa coisa!


A história de Lara Jean e suas 5 cartas de amor para todos os garotos que amou causou uma grande confusão em sua vida, porém, também despertou uma paixão muito improvável - e fofa, convenhamos -, porém, não é apenas isso que podemos tirar do livro.


No livro, escrito por Jenny Han, a autora consegue tratar de forma muito delicada e perspicaz diversos assuntos relacionados à família, amizade, amor e companheirismo, mas sem deixar de lado que como pessoas, todos são passíveis de erros.


Acredito que a relação das “irmãs Song” é um ponto muito importante no livro, afinal, existe algo muito genuíno na relação de três irmãs com personalidades diferentes, e que desde muito cedo precisaram assumir responsabilidades em decorrência do falecimento de sua mãe. Além de ter que lidar com situações como o afastamento pelo início de novas fases da vida (como quando a Margot vai para outro país estudar), aliás, a Margot é muito importante como uma representante de irmãs mais velhas que precisam ser responsáveis ao extremo pelos mais novos, tanto que, no livro, fica claro como foi impactante para ela ir embora e perceber que suas irmãs são capazes de se virar sem ela.



Além disso, acho que a questão das cartas vão além de como a Lara Jean é uma romântica que fantasia bastante, quando elas são enviadas sem que ela saiba, ela se vê obrigada a lidar com sua timidez, encarar seus desafios e lidar com tudo sem a ajuda da Margot, coisa que se reflete em outros pequenos detalhes, como ela não gostar de dirigir.


Enfim… Eu tenho a sensação de que o único interesse do filme é mostrar o lado do romance dela com o Kavinsky, abusando dessa questão fofa que realmente existe… Mas gente, Lara Jean é mais do que uma garota apaixonada que escreve cartas!!! E sua vida não gira apenas em torno disso.


Logo no início, o filme já se livra da Margot, sendo que, no livro, esse momento de partida dela é tratado de forma bem mais profunda, e com muito mais significado! E acho que deixar de forma tão superficial já foi um erro e uma confirmação de como o romance é o foco.


Outro ponto que eu acho até engraçado é… No livro, Lara Jean descreve John Ambrose McClaren como um garoto branco, loiro dos olhos azuis… Porém, no filme, primeiro temos John na época em que Lara Jean se apaixonou, com cabelo castanho (??), bem no finzinho, vemos John na porta dela, correspondendo com a descrição, embora não seja isso que ocorre no filme… Mas aí, em P.S Ainda amo você, damos de cara com o lindíssimo Jordan Fisher, que apesar de lindo e de eu entender um ponto que foi levantado sobre a representatividade dentro o filme, dá um baita confusão em nossas mentes! Enfim…



Muitas cenas foram cortadas ou alteradas, como a festa de Halloween, a batida de carro, o beijo entre Josh e Lara Jean, a cena do Natal e até mesmo a reconciliação de Lara Jean e Peter (que fica em aberto no primeiro livro). E são exatamente todos esses pontos que mostram outros aspectos da nossa protagonista… Tudo no livro é muito mais profundo do que no filme, e apesar de isso já ser esperado, já que o filme precisa reunir tudo de forma mais sucinta, realmente me decepciona perceber como optaram deixar tudo o mais propício possível para focar no romance.


Gente, tem muita coisa que difere um do outro… Apenas quem leu e viu o filme consegue enxergar a quantidade de detalhes - importantíssimos - que foram ignorados ou deixados de fora. Então, se não, leia!! Vale muito a pena.


O filme não é ruim, como eu disse no começo, cumpre com o seu intuito de romance fofo da Netflix para ver em uma noite comendo besteira, mas o livro vai MUITO além, muito mesmo, e para mim vale muito mais a pena conhecer a Lara Jean de verdade, e isso só é possível por meio do livro.





  • YouTube
  • Twitter
  • Instagram

© 2020 por The Feminist Patronum.