the feminst patronum logo

O Debate | Longa metragem e as eleições de 2022

Dia 25 de agosto, estreia ‘O Debate’, longa que traz uma perspectiva das eleições deste ano. Utilizando poucos recursos de cenário e elenco, o filme que estreia Caio Blat como diretor apresenta um contexto atual, afinal estamos a dois meses das eleições e ainda vivendo em contexto pandêmico.


Contado como uma contagem regressiva até o segundo turno das eleições de 2022 e uso de flashbacks, o longa apresenta o diálogo entre dois jornalistas: Paula (Debora Bloch) e seu editor, Marcos (Paulo Betti). Além da relação de trabalho, os dois estão em processo de divórcio após 20 anos juntos, então, o convívio é em tempo integral, dentro de casa e no trabalho. O divórcio acontece como solução para viver distantes um do outro, sem inimizades e quebrando o estereótipo de que divórcios acontecem em função de recorrentes brigas. Dentro disso, ocorrem discussões devido ao processo eleitoral, exatamente o mesmo período em que estamos vivendo hoje. Na última segunda-feira, 15, foram oficializados os candidatos à presidência e Governo do Estado e a partir de agora entraremos em uma onda de debates.


Paulo Betti, Debora Bloch e Caio Blat

O grande foco dos embates entre eles é permeado pelo posicionamento que a emissora irá tomar, o que é considerado fato ou opinião. Há momentos em que Paula deseja apresentar dados, mas é censurada por Marcos deixando a “responsabilidade de decisão” a cargo de cada indivíduo. Por que a gente tem que apresentar os dois lados para que a população faça a escolha sob o discurso da “isenção jornalística”.


Logo no início Marcos alerta para não utilizar nomes próprios, mensagem estendida ao filme de modo geral, dado que em nenhum momento é mencionado nomes dos presidentes ou presidenciáveis. Acompanhamos o combate à pandemia na mesma perspectiva: a forma que o presidente conduziu e conduz a gestão da pandemia, compra de vacinas, cloroquina.


Notamos de modo claro os pontos de vista de cada um, ela enquanto abertamente de esquerda e ele enquanto uma pessoa com insegurança em dizer abertamente sua opinião, perfil de quem em algum momento pendia para a esquerda, buscou uma outra perspectiva nas últimas eleições, defendeu o presidente em atitudes e falas até compreender argumentos contrários e se arrepender da escolha.

Embora se trate de uma ficção, é impossível desassociar da realidade, inclusive é deixada uma abertura no final do filme para o resultado das eleições. Sem previsões ou especulações fica a indagação do fechamento das urnas e a nova era que irá começar, ou não.


‘O Debate’ será lançado nos cinemas em 25 de agosto. Confira o trailer:




thheeeee feeeeem (1).png