Notre-Dame, a catedral que jamais será esquecida

Na tarde do dia 15/04 o mundo presenciou a ruína de mais um dos principais marcos arquitetônicos da história da humanidade. A Catedral de Notre-Dame, em Paris, na França, teve a maior parte de sua estrutura destruída por um incêndio que, até o momento, é de procedência desconhecida.



Apesar da capital francesa ser, definitivamente, o destino mais procurado por turistas do mundo inteiro, a comoção gerada pelo desastre afetou não só os internautas que um dia tiveram a oportunidade de visitar a catedral. A tragédia causou tristeza, também, àqueles que passaram a admirar o edifício após terem contato com o mesmo por meio de arquivos históricos e, é claro, através de livros de ficção e grandes produções de cinema.


Inevitavelmente, a cultura que incentivou o povo francês a iniciar a construção de Notre-Dame, há exatos 856 anos, continua diretamente ligada à literatura e à sétima arte com a qual convivemos atualmente. Manifestações culturais sempre estarão em processo contínuo de mudança, e um dos maiores e mais clássicos exemplos desse fato estão estampados em obras que fizeram e ainda farão parte da infância de de diversas gerações futuras: os filmes dos estúdios Disney.



Lançado em 1996, ‘O Corcunda de Notre Dame’, de Gary Trousdale e Kirk Wise (‘O Rei Leão’, ‘A Bela e a Fera’) é um drama animado que se passa no século 15 em Paris, e tem como personagem principal Quasimodo (Tom Hulce) - um corcunda responsável por badalar os famosos sinos da igreja sempre que necessário. Baseado na obra literária de Victor Hugo, o longa, além de tratar de questões importantes como preconceito por aparência e empoderamento feminino, procura exaltar, de forma explícita, toda a arquitetura e arte encontrada dentro e fora da catedral quando a mesma ainda encontrava-se intacta.



O filme conta com gárgolas falantes, alusão ao reflexo dos enormes vitrais observados do interior da construção gótica, sinos extraordinariamente grandes e barulhentos e demais expressões artísticas, que infelizmente chegaram a ser comprometidas pelas chamas. O incêndio aparenta ter sido causado por falhas cometidas pelos restauradores históricos no sótão do edifício. Contudo, boa parte dos cenários mostrados durante diálogos e cenas musicais continuam de pé e poderá ser recuperada.




Embora os produtores tenham tentado tornar o enredo - que se passa dentro e aos arredores de uma igreja católica - o menos religioso possível, a menção de determinadas referências ao catolicismo foram inevitáveis ao longo da trama. Em contrapartida, como defendido pela personagem e também protagonista Esmeralda (Demi Moore), há toda uma crítica aos membros do clero por trás desse roteiro, na qual são denunciadas as injustiças contra todos aqueles que não se encaixam no padrão imposto pela sociedade parisiense de 6 séculos atrás.



Consequentemente, a mensagem passada é clara: embora seja um símbolo católico, Notre-Dame também representa união e conhecimento para o povo francês desde que foi fundada. E, para o restante do mundo, a catedral continuará sendo um marco fundamental na história mundial até o fim dos tempos - um marco que deve ser reconstruído, preservado e relembrado por quantos séculos o planeta terra ainda permitir.



nossa equipe tfp.png
  • YouTube
  • Twitter
  • Instagram

© 2020 por The Feminist Patronum.