Mulher Oceano

Premiado como Melhor Filme no Porto Femme International Film Festival - Portugal, MULHER OCEANO, longa-metragem de estreia da diretora Djin Sganzerla, filme rodado no Rio de Janeiro e no Japão. Além da direção, ela também assina o roteiro (escrito em parceria com Vana Medeiros) e a produção.



Djin interpreta as duas protagonistas, Hannah e Ana, ambas ligadas pelo mar. A primeira, escritora e mulher de um diplomata (interpretado por Gustavo Falcão), acaba de se mudar para Tóquio, e enfrenta um bloqueio criativo. A outra, funcionária de um banco de investimentos, é praticante de travessia oceânica e se prepara para atravessar a nado 35 km do Leme ao Pontal da Barra.


São mulheres que estão em busca da sua verdadeira essência em um filme feminino, que trata das sutilezas da alma, da essência do ser. E também do que está oculto, não revelado nas pessoas, de forças da natureza que não explicamos, mistérios, sonhos que estão no plano inconsciente. E também retrata aspectos da força, da busca por uma transformação, da alegria, da delicadeza que está contida na força.



O elenco inclui, além de Djin e Falcão, os atores Lucélia Santos, Stênio Garcia, Jandir Ferrari e o japonês Kentaro Suyama.


“Dei espaço para o ator, liberdade para o frescor, para o improviso. Trabalhei com os atores e atrizes a parte sutil das personagens, o subtexto, a realidade de cada um e o que estava por trás.”, conta a diretora.

MULHER OCEANO é um filme no qual o documental e o ficcional se misturam, com um toque de neorrealismo. Um desses elementos documentais são as Amas japonesas, mulheres cujo trabalho consiste em mergulhar no mar em busca de pérolas, alimentos, entre outras coisas, e muitas delas, mesmo com a idade avançada, não abandonam a profissão.

Filmei muitas vezes de forma documental. No roteiro deixamos espaço para que o documental e a ficção se misturassem. Quis filmar nas ruas de Tóquio pensando nisso. Fiz uma extensa pesquisa de locações no Japão enquanto escrevia o roteiro com a Vana.”

As filmagens na cidade japonesa duraram 22 dias.


Sinopse

Ao se mudar para Tóquio, uma escritora brasileira se dedica a escrever seu novo romance, instigada por suas experiências no Japão e por uma das últimas cenas que presenciou no Rio de Janeiro: uma nadadora de travessia oceânica rasgando o horizonte com vigorosas braçadas em mar aberto. Essas duas mulheres aparentemente não compartilham nenhuma conexão, até que suas vidas começam a interferir uma na outra, estranhamente ligadas pelo mar. Hannah, a escritora, mergulha em uma jornada de auto descoberta no Japão, enquanto Ana, a nadadora no Rio, estranhamente tem seu corpo transformado em uma espécie de Oceano interior.



  • YouTube
  • Twitter
  • Instagram

© 2020 por The Feminist Patronum.