Livro vs Série: Little Fires Everyere

Estrelando Reese Witherspoon e Kerry Washington, Little Fires Everywhere é, provavelmente, a melhor série do ano, e você DEVE assistir!



Baseado no livro de Celeste Ng, a minissérie de oito capítulos produzida pela Hulu se passa no final dos anos 90, contando sobre a história de duas famílias que se interligam, uma dos Richardsons, certinhos e exemplares, e a outra de Mia Warren e Pearl, mãe e filha misteriosas que viajam constantemente.


O elenco é incrível, a química de Reese Witherspoon com Kerry Washington foi incrível e as duas juntas fizeram cenas inesquecíveis. Os atores mais novos da série, também personagens principais, são muito consistentes e revelações, principalmente Megan Stott, como Izzy Richardson e Lexi Underwood, Pearl Warren.


O enredo é cativante, com um roteiro emocionante que é fiel ao livro, se aprofundando ainda mais em seus personagens e tramas. A construção dos personagens flui de maneira rápida e eficiente, de um jeito que nos faz querer saber mais de cada um urgentemente apesar de sentirmos que já conhecemos todos tão bem.


A série se destaca por retratar de assuntos muito importantes e atuais, como o racismo contra pessoas negras e asiáticos, aborto, etc. Em várias ocasiões é mostrado como o privilégio branco está presente em todos os lugares e o quão importante é que o racismo seja reconhecido e debatido. A xenofobia vem atrelada ao decorrer dos episódios, junto com assuntos de imigração e o sistema econômico e social desigual em que vivemos. Há também personagens lésbicas e bissexuais, trazendo uma diversidade e profundidade grande para os questionamentos que a série deixa.


Diferenças entre o livro e o filme



alerta de spoiler !


O livro, lançado em 2017 pela editora Intrínseca, é mais focado na parte do sentimento da maternidade, sendo mais aprofundado nesse âmbito aos sociais, que são muito explorados na série. O livro, nesse quesito, é um adicional para entendermos mais as motivações das personagens que são mães.


Porém, muitos acontecimentos são diferentes, ou nem acontecem na versão de Celeste. Por exemplo, originalmente, Mia nunca teve uma relação amorosa com Pauline, sua professora de faculdade.


No livro também, não se sabe ao certo se Mia Warren é ou não uma mulher negra, apesar de ser a intenção de Celeste Ng ao escrever a trama. A escritora disse que não quis escrever sobre racismo contra mulheres negras por não ser seu lugar de fala. Assim, a minissérie foi a chance de abranger essa conversa, algo que ela queria muito.


Outra diferença muito grande foram algumas motivações dos personagens, como por exemplo, o maior motivo de ressentimento de Elena por sua filha Izzy não é por conta somente de decepção, vindo de sua necessidade de ter o poder de deixar tudo perfeito e em ordem, mas também de uma extrema proteção, levando em consideração que quando Isabelle nasceu, ela teve risco de desenvolver alguma deficiência física enquanto crescia.


Várias cenas muito importantes de conexão (ou quebra de confiança) entre Mia e Elena não acontecem no livro, como a cena do segundo episódio “semente e tudo”. Maioria das falas da série são narradas em terceira pessoa no livro, assim, a produção audiovisual fez esses momentos ficarem muito mais pessoais e emocionantes, vindo direto dos personagens.


Little Fires Everywhere está disponível na Amazon Prime com legendas em português.




  • YouTube
  • Twitter
  • Instagram

© 2020 por The Feminist Patronum.