Harley Quinn é uma mulher fodona | Crítica da série solo

"Por trás de todo homem de sucesso há uma mulher fodona”.


Diferente de Aves de Rapina, a animação do DC Universe mostra exatamente como Arlequina foi traída por seu grande amor, o Coringa (Alan Tudyk). Em mais uma missão juntos, o palhaço rouba a cena e destrói todo o plano da vilã, fazendo ela ser capturada por Batman (Diedrich Bader) e indo parar mais uma vez em Arkham.


Divulgação DC Universe

Agora sem bolas de glitter e sem seu time feminino, ela conta somente com o apoio de Hera Venenosa (Lake Bell), que assume o papel de melhor amiga e conselheira, enquanto aguarda ansiosamente a chegada do Coringa para salvá-la da prisão. O que nunca acontece. Somente depois de um ano de espera, ela finalmente deixa a prisão e decide se vingar do criminoso.

A premissa do seriado é bem parecida com a do filme solo da vilã, mas agora na voz de Kaley Cuoco, de The Big Bang Theory, que encaixa tão bem quanto a de Margot Robbie, ela precisa reconhecer que vivia um relacionamento abusivo para conseguir superar de uma vez por todas do palhaço. No entanto, a tarefa não será tão simples.

Divulgação DC Universe

Para ser levada a sério pela população de Gotham, Harley (Kaley Cuoco) decide que é a hora de conquistar um nêmesis a sua altura, mas acaba conquistando somente a atenção do jovem Robin (Jacob Tremblay). Quando decide mudar de estratégia, ela acaba convocando Cara de Barro (Alan Tudyk), Dr. Psycho (Tony Hale), Tubarão Rei (Ron Funches) e a própria Hera, para provar que é uma vilã mais eficiente e digna de fazer parte da Legião do Doom.

Mesmo com toda a violência do seriado para maiores de 18 anos, a trama brinca com o conceito e personalidades dos vilões. O Cara de Barro por exemplo, é o menos criminoso do grupo e um ator falido, que acaba encontrando espaço no mundo do crime para explorar sua habilidade de trocar de aparência e de interpretar. Do mesmo modo que o King Shark também diverte o público como alívio cômico, arrancando risadas entre as cenas explícitas de derramamento de sangue que fazem parte história.


Provando que é muito mais que criação e a “namorada do Coringa”, ela consegue o um lugar entre os temidos da cidade. Mas enquanto esteve presa em sua ideia de se tornar uma das maiores vilãs que Gotham já viu, Harley acaba deixando de lado diversas vezes sua amizade com Ivy, colocando em risco a vida das pessoas que a ajudaram em sua jornada.


Quando entende que está cercada de um time que se importa com seu bem-estar, a ex-psiquiatra encerra sua jornada descobrindo qual o tipo de vilã que deseja ser. Encontrando a chave dentro si própria, ele sela uma aliança com o grande amor do Coringa para tirar o controle da cidade das mãos do ditador.


nossa equipe tfp.png
  • YouTube
  • Twitter
  • Instagram

© 2020 por The Feminist Patronum.