`Euphoria` traz linda fotografia e atuação marcante de Zendaya

Atualizado: 27 de Jun de 2019

Ontem (16/06) estreou a nova série da HBO, 'Euphoria', estrelada por ninguém menos que Zendaya. A série nos apresenta cenas bem explicitas e reais, mostrando traços da juventude no século XXI.


Divulgação: HBO

Produzida por Drake (sim, o cantor), que também ficou responsável pela trilha sonora, a série traz relatos de momentos vividos pelo criador, Sam Levinson , que teve experiencia com drogas e clinicas de reabilitação.



Sinopse


Um grupo de estudantes do ensino médio lida com diferentes situações típicas da idade como drogas, sexo, busca pela identidade, traumas, comportamento nas redes sociais e amizade.


Logo no primeiro episódio já vemos uma overdose, uso explicito de drogas, sexo e nude frontal. Não é atoa que Zendaya fez questão de lembrar a todos que a série possui uma classificação +18.


Ao acompanhar Rue, uma jovem que acabou de sair da clínica de reabilitação, mas ainda não deixou seus hábitos para trás, somos introduzidos aos outros personagens da trama.


Desde o primeiro segundo a série já nos apresenta uma trama pesada, mostrando os diagnósticos psicológicos de Rue, mas um ponto em que devemos ressaltar é que os transtornos e uso de substâncias ilegais em nenhum momento é endeusado ou romantizado, mostrando que a realidade não é tão bonita quando parece.


Falando de coisas bonitas, preciso comentar sobre a direção de fotografia impecável, com luzes fortes, cores marcantes e planos muito bem pensados!


Outra coisa a se destacar é a incrível atuação da Zendaya. A atriz que é conhecida por seus personagens da Disney, e sua participação em 'Homem-Aranha: Homecoming', realmente apresenta uma atuação digna de prêmios, se entregando de corpo e alma.


Divulgação: HBO

Podemos dizer que esse primeiro episódio fez muito jus ao nome da série. Tudo é muito intenso, desde a relação dos personagens, suas atitudes, e conflitos, e como já comentado antes, as cores do episódio são bem fortes e marcantes.


Com um final que deixa um gostinho de "Eu preciso maratonar essa série" e ao mesmo tempo "O que eu estou fazendo com a minha vida", acredito que a proposta do diretor ficou bem explicita, cativando o público a realmente acompanhar os episódios semanalmente.







nossa equipe tfp.png
  • YouTube
  • Twitter
  • Instagram

© 2020 por The Feminist Patronum.