the feminst patronum logo

Encanto | Animação da Disney Studios canta sobre família e união

Atualizado: 21 de abr.

Ao atingir determinada idade ainda na infância, todos os membros da família Madrigal passam pelo processo de abrir a sua própria porta e descobrir quais os poderes que serão recebidos. Pode ser super força, super audição, o poder de prever acontecimentos futuros, mudar de forma ou até mesmo controlar o tempo.


Cada membro da família Madrigal recebeu um milagre. Menos Mirabel. Mirabel teve sua porta fechada para qualquer possibilidade de poder.

Divulgação Disney Studios

Encanto, a nova animação musical da Disney Studios, aborda assuntos como família e união enquanto canta sobre as dificuldades em encontrar a perfeição, possuindo poderes ou não.


Ambientado na Colômbia, assistimos a um filme rápido nos acontecimentos e que não possui um vilão, por assim dizer. É uma história que se apoia na estrutura familiar que conhecemos bem por aqui, onde o membro mais velho é o "chefe da família", e neste caso, a matriarca Alma Madrigal (María Cecilia Botero), que fundou a pequena vila de Encanto com sua Vela mágica.


Em meio ao medo de se ver e ver sua família desabrigada, Alma se torna rígida e, talvez, um pouco cruel em nome do bem estar de todos que ama. Por isso, para Mirabel (Stephanie Beatriz) que não possui poderes, conquistar a atenção e carinho de sua avó é um grande desafio, principalmente quando a Vela está perdendo força e Mirabel está presente na visão que proclama o fim da magia em Encanto.


O nome do filme combina perfeitamente com seu enredo, pois em uma hora e quarenta e nove minutos de duração, Encanto literalmente encanta utilizando a magia em sua forma mais brilhante e delicada, com personagens divertidos e fáceis de se relacionar, além de mais uma trilha sonora impecável de Lin-Manuel Miranda (Moana, Hamilton).


Não é um filme musical no formato que estamos acostumados, Encanto possui apenas seis músicas verdadeiramente cantadas pelos personagens enquanto o restante se encaixa de forma natural como trilha de fundo dos acontecimentos. Por isso, músicas como Surface Pressure e Waiting On A Miracle (Estou Nervosa e Só Um Milagre Pode Me Ajudar na versão dublada) cantadas nos momentos onde começamos a desvendar a tensão do filme, ganham destaque sem esforços.


É fácil desvendar os esforços do Lin-Manuel Miranda por trás das canções, principalmente pelo toque hip-hop tradicional de suas letras. Em Encanto, nos deparamos com um Lin compondo músicas mais maduras e objetivas do que em Moana, mas não menos impressionantes.

Divulgação Disney Studios

As mãos de Jared Bush (Moana, Zootopia) e Charise Castro Smith (Raya e o Último Dragão) fazem as peças deste musical se encaixarem extremamente bem na busca de produzir um essencial efeito final: emocionar quem assiste. Desde uma casa que ganha vida para proteger seus moradores a uma comunidade que se une para retribuir todos os esforços da família Madrigal ao longo dos anos.


Encanto é um filme com potencial para muito mais, mais tempo de tela, mais dramatização e mais músicas. Se a Disney pretende levar a histórias para outros meios como o visto em Frozen e suas histórias curtas no Disney+ é difícil de prever, mas o potencial para conquistar mais é nítido principalmente quando o filme acaba e a sensação que permanece é a de "eu poderia assistir muito mais disso".


Se existe um estúdio que sabe como produzir animações, são os estúdios Disney. Existem filmes melhores e os menos favoritos, mas raros são os que vemos alguém considerá-los como ruins, e Encanto se encaixa na categoria com potencial para ser o favorito de alguns, com seu toque acolhedor e sensação de conforto.


Encanto estreia exclusivamente nos cinemas em 25 de Novembro e a trilha sonora já está disponível nas plataformas digitais.




thheeeee feeeeem (1).png