the feminst patronum logo

Curiosidades sobre o filme "O Diabo Veste Prada"

Em 2021, o clássico filme “O Diabo Veste Prada” completou 15 anos desde sua estreia. Inspirado no livro de mesmo nome - escrito por Lauren Weisberger, ex-assistente da famosa editora da revista Vogue, Anna Wintour - a produção é até hoje uma das favoritas dos fãs de moda, conquistando também o público geral.

Com um elenco de peso, como Anne Hathaway, Maryl Streep, Emily Blunt e Stanley Tucci, “O Diabo Veste Prada” será exibido no Cine Life, do STAR life, nesta terça-feira (27), a partir das 22h30. O filme conta a história de Andy, uma moça recém-formada e com grandes sonhos, que vai trabalhar na conceituada revista de moda Runway e sua função é ser assistente da diabólica Miranda Priestly.

Confira agora 15 curiosidades dessa obra, que mesmo depois de uma década e meia, ainda mora em nossos corações.

1- A modelo Gisele Bündchen, que aparece ao lado de Emily Blunt nos corredores da revista Runaway, só topou participar com a condição de que ela não interpretaria uma modelo.


2- O icônico cabelo branco de Miranda Priestly foi uma sugestão de ninguém menos do que Meryl Streep.

3- Meryl também mudou o tom de voz da personagem que, originalmente, seria gritona e estridente. A atriz achou melhor criar um tom de voz mais baixo e de desprezo.


4- Todas as cenas de “O Diabo Veste Prada” foram gravadas em 57 dias em Nova York e Paris.

5- Por conta do orçamento, não foi possível levar Meryl à Paris para filmar suas cenas, por isso utilizaram chroma key durante as cenas em que ela aparece na Mercedes. Já nos planos gerais, foi utilizada uma dublê.

6- O estúdio queria Rachel McAdams no papel de Andy, mas a atriz recusou o convite.

7- Anne Hathaway já revelou que foi a nona escolha para o papel da personagem principal. Antes dela, atrizes como Scarlett Johansson, Natalie Portman, Kate Hudson e Kirsten Dunst foram consideradas.


8- Merly Streep ficou deprimida durante as filmagens. A atriz usou o “método de interpretação” para dar vida à Miranda, o que mexeu com seu emocional.

9- Quando Meryl aceitou trabalhar no filme, ela disse que queria uma cena que capturasse bem o mundo da moda, o que resultou no clássico monólogo do suéter azul-celeste.

10- O New York Mirror, jornal que Andy é contratada no final do longa, realmente existiu, mas encerrou suas atividades em 1898.

11- A personagem Emily não seria britânica, mas Blunt fez a audição com seu sotaque britânico e todos gostaram tanto que resolveram mudar esse detalhe no roteiro.


12- O filme utilizou figurinos avaliados em mais de US$ 1 milhão. A figurinista Patricia Field precisou pedir alguns looks emprestados para compor o guarda-roupa do longa, já que tinha o orçamento de apenas US$ 100 mil para gastar.

13- A peça mais cara de todo o figurino foi o colar do joalheiro Fred Leighton, usado pela personagem de Meryl Streep. Na época, o item custava US$ 100 mil.

14- Profissionais da indústria da moda não queriam ajudar na produção do filme por medo de serem rejeitados pela editora Anna Wintour, principal inspiração do longa.

15- Um dos livros cenográficos usados como o manuscrito de “Harry Potter e as Relíquias da Morte”, que Andy consegue para as filhas de Miranda, foi leiloado por US$ 586. O dinheiro foi doado para a ONG Dress for Sucess.



Esse post foi produzido em parceria com o canal Star Life.

estelar tfp.png