Crossover Elseworlds, de The Flash, Supergirl e Arrow, traz muitas referências e empolga os fãs

O tão aguardado crossover das séries The Flash, Arrow e Supergirl finalmente foi ao ar. A primeira parte de “Elseworlds” aconteceu em The Flash, a segunda em Arrow e a terceira em Supergirl – os três episódios marcam os mid-seasons das séries, que retornam no ano que vem. O episódio se inicia com a aparição do Monitor na Terra-90, dialogando com Jay Garrick e dizimando tal universo. Após o ocorrido, Monitor dá a John Deegan o poder de mudar a realidade, através de um livro. Deegan, conhecido nos quadrinhos como Doutor Destino, é um professor que acredita que humanos normais podem e devem receber superpoderes, o que nos remete às ideias de Lena Luthor, em Supergirl.

Deegan altera a realidade, trocando as identidades de Oliver Queen e Barry Allen.


Agora, Barry se chama Oliver Queen, possui uma mira impecável e é casado com Felicity Smoak; enquanto Oliver tem supervelocidade, é chamado de Barry Allen e sua paixão é Iris West-Allen. A situação é cômica – a relação de amizade entre os dois diverte o público –, enquanto ambos os personagens precisam se habituar aos novos poderes nas lutas com vilões, e com seus próximos, sem entender ou acreditar em suas crises de identidade. Após um longo processo de convencimento, com um vilão já à solta – o android Amazo – o Team Flash envia Barry e Oliver para Smallville, em busca da ajuda de Supergirl.


Nesse momento, um dos pontos altos do episódio acontece: a cena da Fazenda Kent, onde Kara vai visitar Clark (Tyler Hoechlin) e Lois Lane (Bitsie Tulloch), tem como música de fundo o tema de Smallville, de 2001 – a canção “Save Me”, da banda Remy Zero –, uma bela homenagem aos fãs do seriado. Os atores de Lois e Clark são destaques no episódio, já que, mesmo com pouco tempo de aparição, possuem uma química que deixa o público querendo vê-los mais. Na fazenda, Barry e Oliver começam um treinamento para se acostumarem aos novos poderes e derrotar Amazo, e algumas discussões profundas ocorrem entre os dois, o que dá o tom sério ao episódio.


Oliver, Barry e Kara retornam então à Central City para derrotar o android, e levam Clark para ajudar, já que Amazo é muito forte por possuir um trunfo: ele é capaz de roubar os poderes de seus adversários. As cenas de luta de Arrow, Flash, Supergirl e Superman contra Amazo são de tirar o fôlego e com certeza um dos pontos altos do episódio. Os efeitos especiais e o visual do android são de alta qualidade, e o CGI muito bem feito. Os heróis têm dificuldade para derrotar o vilão, mas, no fim das contas, conseguem exterminá-lo. No final do episódio, mais uma novidade se revela. Cisco, através de uma vibração, consegue visualizar Monitor em uma cidade diferente: Gotham City.


O crossover continua em Arrow, e, nesse episódio, o pano de fundo é majoritariamente a cidade de Batman – que Oliver acredita ser apenas uma lenda urbana –, o que rende ao público muitas referências, os chamados easter eggs. Nessa segunda parte, antes de irem à Gotham, os heróis vão a Star City pedir ajuda ao Team Arrow e, unidos ao Team Flash, começam uma saga para impedir o efeito quântico de Monitor, que está gerando um “céu vermelho”, tentando também trazer Jay Garrick da Terra-90 com alguns equipamentos.


Ao chegarem em Gotham City, uma cidade totalmente caótica e perigosa, os heróis sofrem uma tentativa de assalto. Barry, que agora tem os poderes de Oliver, desarma os bandidos, mas chama a atenção da polícia e todos acabam presos. De repente, na prisão, alguém paga a fiança de Oliver, Barry e Kara – mas quem? É então que uma nova personagem é inserida no crossover: a salvadora dos heróis foi Kate Kane, interpretada por Ruby Rose, que depois descobrimos ser a Batwoman, guardiã de Gotham City.

Kate paga a fiança dos três porque não quer outros vigilantes tomando conta da sua cidade, então libera todos para que saiam de Gotham. Ela é a nova proprietária da Torre Wayne, já que seu primo, Bruce Wayne, foi embora há 3 anos – o motivo não é explicado no episódio. Tentando saber mais sobre Deegan, os heróis descobrem, conversando com Kate, que o professor trabalha no Arkham Asylum, o conhecido “hospital psiquiátrico” de Gotham. Todos vão para lá, inclusive Kate, mas como Batwoman, sem revelar a eles sua identidade.


Quando Deegan percebe a presença dos heróis no hospital, ele solta todos os prisioneiros e um caos se instala, proporcionando diversas cenas de luta, mas uma delas é a mais interessante. No meio de uma das lutas, Oliver acaba derrubando alguns frascos com o “gás do medo” (conhecido nos quadrinhos como o poder de Espantalho, vilão de Batman) e acabam visualizando seus piores inimigos. Oliver se vê numa luta com Malcolm Merlyn e Barry com Eobard Thawne, o Flash Reverso – mas, como estão sob efeitos alucinógenos, os dois acabam brigando entre si. Mas esse fato acaba agregando na amizade deles, porque percebem que a vida do outro não é tão fácil assim e que ambos passaram por muitos problemas na vida.


Em Star City, as equipes percebem que o tal “céu vermelho” é, na verdade, alguém tentando invadir seu universo para passar alguma mensagem. Ajudando a pessoa a passar, descobrem que o Flash da Terra-90, aparentemente Jay Garrick, é quem procurava ajuda. Na verdade, o Flash da Terra-90 também se chama Barry Allen e dá a dica que todos precisavam: Novu, o Monitor, está testando várias Terras diferentes através de um livro que reconstrói a realidade, e que o mais importante é destruir este artefato.


Nessa cena, uma divertida referência acontece: o Flash da Terra-90, ao ver John Diggle, comenta que ele está sem o seu anel – o que nos faz entender que ele seria outro John na Terra-90, John Stewart, o Lanterna Verde. Esperamos que não seja apenas uma referência e que, de fato, essa história vá para frente, já que o ator combina muito com o papel.


Com as novas informações, Cisco e Caitlin vão a Gotham através de um portal, para avisar aos outros heróis sobre o que sabem, e Kara acaba conseguindo capturar o livro: mas não por muito tempo, já que Novu o pega de volta como num passe de mágica e devolve a Deegan. O professor reescreve a realidade novamente, agora transformando Oliver e Barry nos Gêmeos do Gatilho das HQs, com o Superman num uniforme negro em suas colas.


O interessante nesse episódio de Arrow foi a reconciliação de Oliver e Felicity. O casal não passava por bons momentos desde que o arqueiro descobriu que Felicity andava armada. A briga entre os dois parecia sem sentido, já que ela se preocupava apenas em proteger o filho de Oliver e a si mesma, por isso a reconciliação era bastante esperada pelos fãs. O uniforme negro do Superman e da Batwoman também trazem pontos para a produção, já que são muito bem feitos. Porém, a atuação de Ruby Rose não convence muito, como em seus trabalhos anteriores, mesmo que seja divertido vê-la flertando com Kara – mas não passa disso.


Quando a terceira parte do crossover se inicia no episódio de Supergirl, logo descobrimos que, na verdade, o Superman de uniforme negro não é o verdadeiro Superman, mas Deegan transformado no herói em sua realidade alterada. Deegan então persegue Oliver e Barry, mas os dois conseguem escapar; em contrapartida, Kara foi presa em Star Labs por Deegan e seus mais novos aliados: Alex Danvers, Caitlin Snow e John Diggle.


Oliver e Barry procurem a ajuda de Cisco Ramón, que, na nova realidade, é um temido e famoso assaltante. Após muitas tentativas de convencimento e até mesmo brigas, Barry consegue convencer Cisco a ajudar, ao citar que conhecia seu irmão Dante – aparentemente, mesmo na realidade alterada, Dante ainda é o ponto fraco de Ramón. Os três vão atrás do verdadeiro Superman para solicitar ajuda, através de um portal criado por Cisco, que consegue vibrar também nesta nova versão da Terra.


Kara, ainda presa em Star Labs, tenta se aproximar de Alex Danvers, convencendo-a de que, em outra realidade, elas são irmãs e se amam. Após muita conversa, Alex se rende e acaba soltando Kara, e dão de cara com Deegan entrando no laboratório. Por sorte, no mesmo momento, Cisco, Barry, Oliver e Clark aparecem através de um portal. A cena de luta mais interessante do episódio acontece: os dois Supermans, o verdadeiro e o falso, brigam em vários pontos da cidade – e os efeitos são muito interessantes, principalmente por ser o mesmo ator nos dois papéis –, enquanto os outros heróis vão atrás do livro, já que Danvers revela onde está.


Ninguém é tão forte e capaz de abrir o livro, já que possui um poder muito grande, quanto o Superman. Por isso, Kara o entrega a Clark e ele consegue realinhar a realidade, mas não por muito tempo. Deegan reavê o livro, mas Lois traz J’onn J’onzz e Brainiac-5 para a Terra-1, junto com uma forte arma contra o vilão, o que dá bastante tempo para os heróis contra Deegan. Enquanto isso, Kara e Barry precisam desacelerar a rotação da terra para terem tempo de derrubar Deegan – uma referência ao quadrinho Superman de 1978.


Ainda assim, as coisas não estão fáceis para os heróis e, numa tentativa de arrumar a bagunça, Oliver consegue encontrar Novu, pedindo para que tudo volte ao normal; mas, para isso, é preciso que aconteça uma troca pelo equilíbrio, porém não fica revelado que troca seria essa. De toda forma, Novu acata o pedido e Oliver consegue atirar uma flecha no livro, já que tudo está mais lento, o que resolve o problema de vez.

O final do episódio traz o tom mais emocional do Crossover. Kara, agora demitida do DEO, passa a trabalhar sozinha por National City, já que Clark e Lois decidem se casar e ter um filho, mudando-se de vez para Argo. A química entre os atores fica ainda mais evidente na cena do pedido de casamento, muito emocionante e divertida, quando Clark forja um diamante em suas próprias mãos.


Além disso, Oliver está ainda mais emocional em relação à escuridão dentro de si mesmo. Na conversa com Novu, o arqueiro deixa claro que Barry e Kara são diferentes dele e que não merecem tudo o que estava acontecendo. Fica uma dúvida no ar do que seria a tal “troca” feita com Novu pelo bem da Terra e se isso implicará problemas para Oliver, que parece ter se sacrificado por algo maior.


Antes do episódio terminar, Batwoman liga para Oliver, em tom de reclamação, já que Deegan agora foi para a cadeia e acabou fazendo um novo aliado: o Pirata Psíquico, o que pode trazer problemas para Gotham. Antes dos créditos, o público recebe um “continua em 2019” acompanhado do logo de Crise nas Infinitas Terras. Talvez os fãs se deparem em breve com um dos maiores crossovers entre CW e DC – esperamos ansiosamente pelo retorno das séries.



nossa equipe tfp.png
  • YouTube
  • Twitter
  • Instagram

© 2020 por The Feminist Patronum.