Crítica: The Umbrella Academy

Atualizado: 21 de Mar de 2019


Uma família disfuncional, complicada e confusa é a soma ideal para uma boa história.


Que 'The Umbrella Academy' é adaptação de uma história em quadrinhos, todo mundo sabe. Mas você sabia que a história foi criada pelo vocalista da banda My Chemical Romance, Gerard Way, e ilustrada pelo brasileiro Gabriel Bá? Pois bem, a Netflix, após dar fim às séries de heróis da Marvel, precisou mudar sua tática.

Aqui vemos o que pode ser o futuro das adaptações da Netflix.

O quadrinho, lançado pela Dark Horse Comics, conta a história dos sete filhos adotivos de Sir Reginald Hargreeves, que foram gestados misteriosamente em poucos minutos, no mesmo horário e no mesmo dia, em mães que não estavam grávidas. Essas crianças desenvolveram poderes inusitados, e, mais tarde, se tornariam o time de super heróis chamado Umbrella Academy.

A história de fato começa com a morte suspeita de Hargreeves, forçando seus filhos adotivos, já não mais crianças, a se unirem novamente. Essa família, que nunca foi exatamente unida, precisa encaixar as peças sobre a morte de seu pai adotivo, desenterrando assim, todos os traumas e problemas vividos quando ainda eram crianças.



Luther, o Número Um, fiel a causa de seu pai, teoricamente o líder do time, precisa vencer a barreira da distância e unir novamente seus irmãos.


Diego, o Número Dois, que segue sua vida sendo um herói vigilante, precisa rever seu irmão e lidar com o fato de que ele nunca foi bom o bastante para ser o líder entre eles.


Allison, a Número Três, acabou de sofrer um divórcio, onde ela foi separada de sua filha Claire, e está mais do que nunca querendo se afastar de seus poderes.


Klaus, o Número Quatro, mal conseguiu ainda compreender a magnitude de seus poderes. Ele pode se comunicar com os mortos, mas para evitar ser assombrado sempre, ele se tornou um viciado em drogas.


O Número Cinco começa a história misteriosamente desaparecido. Ele tem o poder de teletransporte e pode viajar no tempo.


Ben, o Número Seis, sofreu um acidente em uma das missões da família e foi morto ainda muito jovem.


A principal questão entre os irmãos está com a Vanya, a Número Sete. Ela nunca desenvolveu nenhum poder, e isso sempre foi motivo para se sentir excluída da grande maioria dos assuntos familiares.


Porém, com o retorno do Número Cinco uma nova polêmica se instaura na família: em alguns dias o mundo acabará, e eles não sabem nem como, e nem porque.

Você pode pensar que as várias histórias rolando na série podem deixá-la confusa, mas saiba que a série explora de maneira plausível todos os seus pontos principais, no tempo devido.


The Umbrella Academy apresenta uma história excêntrica e divertida, rapidamente você já está introduzido no contexto ao mesmo tempo que sempre uma nova dúvida é plantada na sua mente.


A trilha sonora também é um ponto extremamente positivo para a série, sempre mesclando as cenas de ação com algum clássico agitado, como Don't Stop Me Now do Queen, ou alguma outra cena importante com uma música temática.


A série deixa uma boa sensação no telespectador após os 10 episódios apresentados, e ainda deixa um amplo conteúdo para ser abordado em temporadas futuradas (se houverem).


Você pode conhecer muito mais desse universo criado por Gerard Way nos quadrinhos: Suíte do Apocalipse e Dallas.



The Umbrella Academy já esta disponível na Netflix! Já maratonou a série? Conta pra gente o que você achou!





nossa equipe tfp.png
  • YouTube
  • Twitter
  • Instagram

© 2020 por The Feminist Patronum.