Crítica: Sócrates

Sócrates nos traz as telas do cinema a verdade mais crua da desigualdade e opressão do sistema.



O filme conta sobre um garoto de 15 anos que perde sua mãe, e agora há de tentar se sustentar sozinho, tentando se recuperar do luto, e vivendo à margem da marginalização.

Seguimos os passos de Sócrates, e sentimos com ele toda a sua dor, desde a perda de sua família mais próxima, até uma desilusão amorosa, rejeição na sociedade, e nos perdemos na vida com ele. Observamos a escancarada verdade de como as coisas acontecem no mundo para quem não nasce privilegiado. A cada cena nós vemos mais uma pessoa dar suas costas para o garoto que vai perdendo todas as opções, porém nunca deixando de lutar por si e pela mãe.


Tecnicamente não é um filme perfeito, como a fotografia que pode cansar os olhos em certo ponto por não estar estabilizada em nenhum momento do filme, mas até assim Sócrates apresenta vários planos e imagens ricas de narrativa e esteticamente bonitas. Roteiro expressa mensagens claras e poderosas, tudo se conversa muito bem e é tratado no tom perfeito, e apesar de ser violentamente emocionante, ainda tem um cuidado imenso com os assuntos abordados. O filme atinge seu objetivo e mexe com o telespectador, nos fazendo se questionar sobre diversos assuntos que precisamos dialogar com urgência.


Mesmo com baixo orçamento, o grupo de cineastas entre 16 a 20 anos fizeram um trabalho incrível nessa obra, contando com uma ótima direção de Alexandre Moratto, e estréia no cinema de Christian Malheiros, que agora também está em Sintonia, série da Netflix, vivendo o papel de Nando. Importante lembrar também que o filme foi indicado a dois prêmios no Independent Spirit Awards ganhando a categoria ‘Someone to Watch’.


E devemos celebrar que um filme com representação gay, negra e da favela esteja sendo distribuído pelos cinemas do Brasil e festivais mundo a fora, especialmente em tempos como esse que estamos vivendo na política, na sociedade, e com o cinema brasileiro que sofre ameaças.



Não perca a oportunidade de assistir Sócrates, que entrou em cartaz há uma semana em cinemas pelo país.




nossa equipe tfp.png
  • YouTube
  • Twitter
  • Instagram

© 2019 por The Feminist Patronum.