Crítica: 'O Gênio e o Louco'

Baseado em fatos reais, 'O Gênio e o Louco' não deixa a desejar quando o assunto é elenco forte e interação do público com a história retratada. Quando mencionamos isto queremos dizer que, apesar do longa ter 2 horas e 9 minutos, você se vê totalmente imerso a uma história construída em volta de uma objeto tão simples: um dicionário.


Um pouco difícil de acreditar que um filme que tem como base a história de tal objeto seja tão excelente, mas este não é apenas "mais um" dicionário, e sim O Dicionário de Oxford.


Créd. da imagem: Google Imagens

James Murray (Mel Gibson) é um professor que decide largar sua zona de conforto e em busca de uma aventura que até então parecia impossível, se dispõe a recrutar o máximo de pessoas possíveis para catalogar todas as palavras da língua inglesa e seus significados.


Paralelo a isso temos Dr. W.C Minor (Sean Penn), que se encontra julgamento por um homicídio que ele há de cometer. Através da trama aprendemos mais detalhes sobre a vida do Dr. e o que aconteceu até essa fase de sua vida, de forma que sentimos sua dor durante todo esse desenvolvimento.


Créd. da imagem: Google Imagens

Em dado momento Dr. WC Minor é condenado a permanecer preso em uma clínica Psiquiátrica e como um passa-tempo decide enviar 10 mil palavras e seus respectivos significados para ajudar no projeto de Murray. O professor decide homenagear Minor, e é então que a vida dos personagens finalmente se cruzam. A partir daí nasce não só o Dicionário de Oxford, mas também uma bela amizade surge e até mesmo um romance.


O filme pode parecer lento ou até mesmo desinteressante para alguns, mas sua dinâmica é extremamente interessante e nos deixa pensativo quanto às histórias e nomes por trás de diversas invenções que mudaram o mundo.


'O Gênio e o Louco' estreia em 18 de abril nos cinemas brasileiros.


nossa equipe tfp.png
  • YouTube
  • Twitter
  • Instagram

© 2020 por The Feminist Patronum.