Crítica: Judas e o Messias Negro

Você já assistiu um filme que no final tudo que conseguia fazer era pensar "UAU! O que eu acabei de ver?"? Bom, 'Judas e o Messias Negro' é exatamente assim.

Divulgação Warner Bros.

William O'Neal (Lakeith Stanfield) é um pequeno criminoso persuadido pelo FBI ao se infiltras ao Partido Panteras Negras e derrubar o vice-presidente Fred Hampton (Daniel Kaluuya), com a intenção de acabar com a disseminação de ideias que minorias merecem direitos básicos.


Escrito e dirigido por Shaka King o filme é realmente impecável. Desde os mínimos detalhes, até a movimentação da câmera e posicionamento das luzes.


O filme consegue muito bem apresentar uma narrativa tensa e emocionante do início ao fim, tudo graças aos talentosos atores em tela e a magnifica trilha sonora. King foi capaz de dinamizar tão bem o cenário de luta diária dos Panteras, apresentando as pessoas por trás dos uniformes e como elas também são vulneráveis.


Deborah Johnson (Dominique Fishback) é a namorada de Fred Hampton e se mostra muito mais do que uma mera coadjuvante. Algo muito sensível e atual que é apresentado durante o filme é "você teria coragem de trazer uma criança para um mundo tão racista que vivemos?''. As crianças negras (pretas e pardas) são maioria entre as desaparecidas: só no estado do Rio de Janeiro, representam 73,18% do total segundo dados da Fundação para a Infância e Adolescência. Outro estudo demonstrou que, nas 17 cidades brasileiras com mais de 1 milhão de habitantes, 86% das crianças em situação de rua são negras.


Divulgação: Warner Bros.

Assim como para Martin Luther King, Fred Hampton e Malcom X, discursar para o povo faz parte da sua alma. O diretor foi capaz de nos apresentar esses discursos importantes e inspiradores no longa, o que com certeza deixou todos do cinema arrepiados.


Você pode matar o revolucionário, mas você nunca pode matar a revolução. - Fred Hampton

Como já disse, o filme tem um produção incrível, e não ficaria surpresa se ganhasse inúmeros prêmios. É absolutamente um "must watch".


Nota: 4/5 de 5



  • YouTube
  • Twitter
  • Instagram

© 2020 por The Feminist Patronum.