Crítica - Feel the Beat

Do que você abriria mão para correr atrás de seus sonhos?

Em Feel The Beat, novo filme da Netflix, conhecemos April, uma jovem dançarina que sonha em ser uma grande estrela da Broadway. Quando fracassa em uma audição após um incidente com diretora influente, ela precisa deixar a Nova York para voltar para cidade natal.

Divulgação Netflix

Apesar de ter uma premissa já abordada em diversas outras produções, mas que não perde seu brilho. Assim como a própria Hannah Montana em seu filme, a personagem de Sofia Carson, conhecida pela trilogia Descendentes da Disney, vai passar um tempo no interior para após uma humilhação viralizar na internet para se reconectar com suas raízes.

No interior do Wisconsin, onde ninguém sabe da audição que levou sua carreira por água abaixo, ela retorna ao estúdio em que treinou na infância, onde se tornou a profissional regrada, arrogante e perfeicionista que é atualmente. Afim de chamar atenção de um importante diretor que será jurado de um concurso de dança infantil, decide se tornar a treinadora de um grupo desastrado e disfuncional de jovens, rumo à uma competição nacional e a sua ascenção pessoal.

Botando medo nas alunas e nos familiares, ela monta um treinamento rigoroso, deixando para trás até os jogadores do time de futebol americano, para transformar as crianças em grandes prodígios, e também se tornam o ponto chave da história. Além de carismáticos, os personagens vão de alívio cômico até dramáticos, conseguindo emocionar com suas próprias histórias e lutando as próprias lutas.

Mas Carson não fica de fora. Neste trabalho ela sustenta com elegância a professora durona com muita expressividade e talento, além de comover em seus números de dança, entregando muito de seu próprio repertório ao papel da garota prodígio. Reconhecendo seu lado egocêntrico e grosseiro, ela se rende ao carisma da turma, se comprometendo com a cidade inteira para conquistar a taça do torneio e garantir o sucesso coletivo.

Divulgação Netflix

Apesar de muitos terem esperado mais cenas do personagem de Wolfgang Novogratz como Nick, o ex-namorado que April deixou para trás quando se mudou para a cidade grande, o foco da narrativa acaba sendo amor da dançarina pela carreira, e não o romântico. Ainda assim, o ator que está escalado para dar vida a Patch Cipriano na adaptação cinematográfica de Hush Hush, consegue encantar sem esforços como o irmão mais velho carinhoso e charmoso.

Mesmo com o roteiro previsível escrito por Shawn Ku, a comédia romântica dirigida por Elissa Down é um dos melhores acertos de filmes adolescentes da plataforma já tentou emplacar nos últimos tempos.



nossa equipe tfp.png
  • YouTube
  • Twitter
  • Instagram

© 2020 por The Feminist Patronum.