Crítica: Doutor Sono

Atenção: Doutor Sono pode dar sono! E não, essa não é a proposta do filme.


Divulgação: Warner Bros. Pictures

Na sequência do icônico filme de terror 'O Iluminado', acompanhamos a vida de Danny Torrence, que sobreviveu a tentativa de homicídio por seu pai no Hotel Overlook, e possui o dom de ver espíritos malignos, ou pelo menos, era isso que esperávamos assistir no cinema.


Com um começo bem fragmentado e lento, o filme demora para prender o espectador, o que é péssimo, pois são quase três horas arrastadas.


Sabemos como é difícil acertar o tom nas adaptações de Stephen King, e que seria difícil chegar aos pés de Kubrick, contudo, o diretor Mike Flanagan (A Maldição da Residência Hill), aposta muito em planos simétricos e zoom no rosto dos personagens, honrando muito bem o clássico.


Divulgação: Warner Bros. Pictures

Algo que me incomodou profundamente foi a regravação de cenas que já vimos em 'O Iluminado', que poderiam muito bem ter sido remasterizadas, assim não sofreríamos como uma mudança de cast e o tom apresentado. Jack Nicholson teria feito uma grande e memorável aparição.


Ewan McGregor é realmente um bom ator, disso não há dúvidas, mas a falta de atenção devida ao seu personagem, o mesmo acaba sendo ofuscado por Kyliegh Curran, que da um show de atuação mesmo sendo tão nova.


Os antagonistas tentam ser marcantes e apavorantes como no primeiro longa, mas acabam falhando, e deixando a dinâmica bem morna, algo bem "ladra mas não morde". A atriz Rebecca Ferguson está no auge da sua beleza, mas isso é a única coisa que se destaca (mais uma vilã mal desenvolvida e deixada apenas por sua beleza).


Divulgação: Warner Bros. Pictures

Importante destacar como a trilha sonora é uma das poucas coisas realmente tocantes no longa, e que é capaz de deixar todos tensos e arrepiados.


Ao longo do filme é possível ver inúmeras referências aos clássicos de Stephen King, o que certamente irá animar os fãs do escritor, principalmente no 3 ato.


#DoutorSono chega nos cinemas dia 7 de novembro. Assista por sua conta e risco.




Sinopse


Ainda extremamente marcado pelo trauma que sofreu quando criança no Hotel Overlook, Dan Torrance lutou para encontrar o mínimo de paz. Essa paz é destruída quando ele encontra Abra, uma adolescente corajosa com um dom extrassensorial, conhecido como Brilho. Ao reconhecer instintivamente que Dan compartilha seu poder, Abra o procura, desesperada para que ele a ajude contra a impiedosa Rose Cartola e seus seguidores do grupo Verdadeiro Nó, que se alimentam do Brilho de inocentes visando a imortalidade. Ao formarem uma improvável aliança, Dan e Abra se envolvem em uma brutal batalha de vida ou morte com Rose. A inocência de Abra e a maneira destemida que ela abraça seu Brilho fazem com que Dan use seus próprios poderes como nunca, enquanto enfrenta seus medos e desperta os fantasmas do passado.




nossa equipe tfp.png
  • YouTube
  • Twitter
  • Instagram

© 2020 por The Feminist Patronum.