Crítica - Coringa

Diferente de qualquer filme baseado em quadrinhos, Coringa pode ser o ponta pé inicial para uma revolução nos filmes do gênero.


Divulgação: Warner Bros.

Apensar de não ser baseado em nenhuma HQ, a pessoa que escreveu o roteiro sabia muito bem o que estava fazendo, o filme possui inúmeras referências aos quadrinhos, capaz de deixar qualquer fã da DC Comics com um sorriso no rosto.


Joaquin Phoenix arrasou na atuação, encarnando o personagem com seu corpo e alma, deixando quase impossível de reconhece-lo.


Com cores vibrantes e uma paleta baseada em azul, vermelho, verde e amarelo, a fotografia é muito bem trabalhada, em cenas sem diálogos, a trilha sonora completa perfeitamente, deixando claro o que o diretor tinha em mente.


Eu pensava que minha vida era uma tragédia....

Abordando desde o começo que o personagem possui problemas mentais, o longa não romantiza ou incentiva as atitudes do Coringa, deixando bem claro que ele é o vilão da história, e que em breve veremos o mocinho (no caso, o Batman)


A origem do Coringa é diferente das HQs, não vemos ácido ou algo parecido, o que vemos é um homem que fica doente devido a sociedade em que vive, e assim o roteiro fica muito mais atual e chocante. Por mais que o filme se passe nos anos 80, questões políticas atuais são abordadas.


Divulgação: Warner Bros.

Sobre a violência e classificação indicativa: tem sim violência explicita, mas não chega a ser gore que nem em Deadpool, é algo mais real, o que deixa o filme muito mais pesado.


O diretor foi capaz de construir uma narrativa que vai ficar na mente do público por dias, onde é possível se questionar o que é verdadeiro e o que é falso.


Não vamos falar de spoilers aqui, mas seria possível a Warner utilizar a linha cronológica apresentada nesse filme e introduzir o Batman de Robert Pattison. Seria incrível ver Joaquin vivendo um personagem tão marcante novamente.


Mereceu os prêmios já recebidos? Sim. Vai ser indicado ao Oscar? Provavelmente.


#Coringa chega nos cinemas dia 03 de outubro. Confira por sua conta e risco, não leve crianças para o cinema.


Sinopse


O comediante falido Arthur Fleck encontra violentos bandidos pelas ruas de Gotham City. Desconsiderado pela sociedade, Fleck começa a ficar louco e se transforma no criminoso conhecido como Coringa.



nossa equipe tfp.png
  • YouTube
  • Twitter
  • Instagram

© 2019 por The Feminist Patronum.