CRÍTICA: Bohemian Rhapsody

Em um mundo onde todos possuem algum tipo de talento, saber convencer as pessoas a escutar o que você tem a dizer pode parecer um desafio, mas esse desafio sempre foi o passatempo favorito de Freddie Mercury.

Sempre se apresentando como um performer, e não apenas cantor e compositor, Farrokh Bulsara (futuramente Freddie Mercury) buscava encontrar seu lugar no mundo quando conheceu a banda "Smile" se apresentando em um bar de faculdade. Para ele, descobrir que o cantor da banda havia acabado de deixar o posto foi a oportunidade perfeita para iniciar sua longa jornada no mundo musical.

Bohemian Rhapsody vai muito além de ser um filme biográfico, é uma experiência que todas as gerações podem tirar proveito de alguma forma.

É um filme leve e descontraído ao mesmo tempo que aborda assuntos importantes e extremamente sérios para a época em que acontece, levando o telespectador a sentir todas as sensações de um espaço curto de tempo.

A importância dos outros três membros da banda não é diminuída e momento algum, muito pelo contrário, a união do grupo, juntamento com seus altos e baixos, é algo bem apresentado no filme, igualmente com suas personalidades marcantes e os momentos em que cada um deixou sua marca eternizada no Queen.

A trilha sonora obviamente era promessa certeira de sucesso, apresentando a criação de clássicos como We Will Rock You, Love Of My Life, e claro, Bohemian Rhapsody, é impossível em alguns momentos se manter parado na cadeira do cinema.

Outro destaque positivo do filme se deve a caracterização dos personagens e a incrível performance de Rami Malek como Freddie Mercury, incorporando seu personagem de maneira pessoal e icônica, sem deixar de respeitar a personalidade do Mercury original.

Se emocione, se arrepie, dê muitas risadas e sinta na pele a sensação de estar perto do palco no famoso show do Live Aid em 1986 no Wembley Stadium.

Aliás, maravilhosa a homenagem que o filme faz ao Rock In Rio de 1985, quando a platéia brasileira deixa Freddie Mercury sem palavras ao som de Love Of My Life.

Viva a experiência de ver Bohemian Rhapsody hoje mesmo nos cinemas!



nossa equipe tfp.png
  • YouTube
  • Twitter
  • Instagram

© 2020 por The Feminist Patronum.