Apoio Psicológico nas Telas

Esse post tem alguns spoilers!


A busca de apoio psicológico é um assunto que não é muito bem tratado nas mídias. Em filmes ou séries de televisão, um personagem buscar a ajuda de um psicólogo geralmente é tratado com desdém, como piada ou algo que não deve ser levado a sério. Nossa saúde mental é de extrema importância e não deveríamos ter receios na hora de buscar ajuda médica e muitas pessoas que acabam deixando essa como uma última opção, se é que chega a ser uma opção, e acabam chegando em um ponto crítico de colapso.



Big Little Lies - HBO


Big Little Lies vêm mostrando a importância do apoio psicológico desde a primeira temporada. A personagem Celeste foi com o marido em uma terapia de casal, devido ao comportamento abusivo dele. Em algumas sessões sozinha com Celeste, a terapeuta ao perceber que ela também se achava culpada pela violência, começou a ajudar a personagem a perceber que a culpa não era dela, que nunca é da vítima, e que esse é comportamento típico de uma pessoa abusiva, o de fazer a vítima de sentir culpada. Na segunda temporada, com a morte do marido, Celeste continuou sua terapia, e nesse segundo episódio, em uma cena magnífica, a terapeuta pediu para que Celeste fechasse os olhos e lembrasse de um dos episódios de violência, e depois, pediu para que fizesse o mesmo, mas que imaginasse uma amiga em seu lugar. Ao perguntar para Celeste: "ela merecia isso?" a terapeuta mostra para ela a realidade de um relacionamento abusivo e como é fácil que a vítima se sinta culpada pela situação. A série vêm tratando a terapia de um jeito maravilhoso, que eu acho que deve ajudar muitas mulheres que assistem a perceber que precisam conversar com um profissional ou pelo menos procurar ajuda de uma amiga próxima.


Patrick Melrose, com Benedict Cumberbatch, é uma série maravilhosa que foca em como traumas de infância, nesse caso um pai abusivo, moldam a pessoa até seu fase adulta e influenciam em quem elas viram. Na série Patrick busca ajuda médica para lidar com seus traumas e vícios e retrata muito bem a facilidade constante de cair na tentação desse vícios, como é difícil falar sobre seu passado e seus problemas atuais e como é fácil empurrar todos a sua volta pra longe de você devido ao não saber como lidar com outras pessoas e pedir ajuda.



Patrick Melrose - Showtime


The Haunting of Hill House, Sharp Objects e Penny Dreadful também são séries que mostraram um pouco como funcionam os grupos e instituições de apoio a pessoas com algum tipo de vício ou trauma, e a importância do apoio familiar e de amigos.


Séries de comédia também vêm tratando do assunto com mais frequência. Em Fleabag a personagem principal recebe uma consulta de presente de seu pai. Durante a consulta, ela, bem cética e acreditando que não precisa de terapia, acaba conversando com a médica, em um breve diálogo que na verdade acaba dizendo muito sobre como ela resolverá um dilema que está vivendo. Em Brooklyn Nine-Nine o detetive Jake Peralta teve uma infância complicada devido a infidelidade de seu pai, que acabou desestabilizando a família. O personagem nunca escondeu que sabe como sua relação com seu pai o afeta até hoje mas em um episódio recente, ao ter que lidar com um terapeuta em um de seus casos, depois de tantos anos resistindo à ideia da terapia, decidiu que iria começar algumas sessões.


Brooklyn Nine-Nine - NBC

Em Fleabag o episódio não ofereceu muita luz para a importância do apoio psicológico, pois foi tratado como só um tópico para uma cena engraçada, mas em B99 eu pessoalmente fiquei muito feliz com o arco de Jake, que por mais que seja uma pessoa ótima, de bom caráter e personalidade, mostrou que a terapia é boa para qualquer caso, mesmo que a pessoa não esteja em um ponto crítico precisando de ajuda.


Alguns filmes da Marvel usam esses tópicos mais delicados para o arco de seus personagens mas geralmente a parte principal desses assuntos é deixada de lado, como por exemplo a ansiedade e traumas de Tony Stark, o acidente e suas consequências psicológicas em Stephen Strange ou Hope e a perda de sua mãe quando ainda criança. Em filmes mais recentes tivemos Sam e seu grupo de apoio a ex militares e Steve em outro grupo de apoio para aqueles que perderam suas famílias, o que eu achei bem importante de se mostrar. Nós fãs sabemos sobre esses personagens e entendemos até mesmo um simples gesto, que não foi explicitamente mostrado na cena, mas que nós captamos e entendemos o porquê daquilo, e não porque o filme deixou claro a raiz e origem dele, como o movimento das mãos de Tony quando está em um momento de tensão, que pode ser um gatilho de sua ansiedade e stress pós traumático.


As séries da Marvel na Netflix são melhores em mostrar o lado mais sombrio e real do psicológico de seus personagens, como em The Punisher, que mostra um grupo de apoio em vários episódios, ou Jessica Jones e Karen (em Daredevil), que nunca buscaram apoio médico mas conversaram com pessoas próximas. Todas essas séries retratam bem os diversos traumas e vícios de seus personagens, provavelmente porque não são necessariamente focados para o público jovem como os filmes.





Apoio psicológico é um tema delicado mas que poderia com certeza ser tratado com mais clareza, respeito e importância. São poucas as representações fiéis que temos então precisamos cobrar mais isso de nossos criadores de conteúdo. Buscar ajuda médica não é motivo de vergonha ou falha, apenas mostra que você é um ser humano como qualquer outra pessoa, que precisa de apoio para lidar com alguma coisa difícil, então caso você esteja lendo isso e sente que precisa de ajuda, fale com um amigo de confiança ou busque ajuda médica, isso com certeza vai te ajudar a melhorar e a aprender como lidar com momentos difíceis pela sua vida toda.




nossa equipe tfp.png
  • YouTube
  • Twitter
  • Instagram

© 2020 por The Feminist Patronum.