the feminst patronum logo

A Escola do Bem e do Mal | Uma nova forma de adaptar a batalha do bem vs mal

"Os alunos da Escola do Bem e do Mal achavam que magia significava feitiço. Agatha, porém, tinha descoberto algo mais poderoso em um sorriso."

A cada 4 anos, duas crianças são sequestradas da pequena vila de Gavaldon. No início, eles pensaram que suas crianças estavam sendo levadas por pessoas cruéis, mas com o tempo, surgiram rumores. Rumores de que essas crianças iam para o lugar onde as histórias sobre vilões, príncipes e princesas são escritas.


Sophie estava determinada a ser a próxima princesa a ser levada, por isso, cumpriu todos os requisitos dos sequestros anteriores, incluindo fazer amizade com alguém que não tinha mais ninguém, Agatha.



Em um livro que lembra absurdamente a estrutura de Harry Potter, com os professores explicando as regras dos castelos e como ganhar a grande competição ao final das aulas, 'A Escola do Bem e do Mal' de Soman Chainani traz a reflexão sobre o que torna alguém verdadeiramente do bem e verdadeiramente do mal, não importando o quanto você faça "caridades" se no fim do dia desrespeita tudo e todos.


Foi INCRÍVEL acompanhar a jornada de Sophie, desde o sonho de ser uma princesa à abraçar o fato de que é uma vilã. Inicialmente pareceu que este avanço seria lento, mas em determinado momento se tornou impossível respirar lendo suas cenas vilanescas! Aliás, ela se torna a melhor personagem quando isso finalmente acontece, até então, Agatha era a minha favorita disparadamente.


Ação e reviravoltas até a última página, espero que a Netflix faça justiça à essa história que ganhará adaptação em 19 de Outubro (pelo trailer e elenco, parece que sim!).

Sophia Anne Caruso é Sophie e Sofia Wylie é Agatha na adaptação da Netflix

Compre aqui e ajude o The Feminist Patronum a continuar crescendo.